• Assinantes
  • Autenticação
  • Seus Direitos


    Ponto adicional de TV a cabo
    Nota técnica do Procon considera cobrança por ponto extra
    prática abusiva contra o consumidor

    Chico Brinati
    Repórter
    12/11/05

    Veja o que diz a advogada e superintendente do Procon, Léa Ganimi, sobre a cobrança de ponto adicional de TV a cabo.

    Veja!

    Você possui pontos extras de TV a cabo na sua residência? Então, fique atento! A cobrança feita pelas operadoras de TV a cabo, pode ser questionada junto à Justiça. Tudo porque, em setembro, o Ministério Público Federal, o Ministério Público de Minas Gerais e o Procon assinaram um parecer conjunto qualificando de abusiva a cobrança por ponto adicional de TV a cabo nas residências. O parecer vale apenas como orientação aos órgãos de defesa do consumidor de todo o país.

    Essa nota técnica 07/2005, do dia 22 de setembro deste ano, diz que, “em virtude do equilíbrio das relações de consumo, é prática abusiva cobrança por ponto adicional. A nota tem como objetivo possibilitar a suspensão da cobrança de valores por pontos adicionais solicitados pelo assinante, pois fica caracterizado como prática abusiva contra o consumidor. Com isso, ele pode pedir a retirada da cláusula referente à cobrança do contrato de prestação de serviços.

    Em Juiz de Fora, o Procon ainda não recebeu nenhuma reclamação, mas no Estado do Rio de Janeiro, por exemplo, a 8ª Vara Empresarial já determinou que não se pode cobrar dos assinantes os pontos adicionais de TV a cabo instalados nas residências. Esta liminar concedida no Rio refere-se apenas à empresa NET Rio, que tem concessão de TV a cabo. O juiz baseou sua decisão na Lei da TV a Cabo, de 1995, que não prevê o pagamento por pontos extras instalados nas residências dos assinantes.

    O que diz o Procon
    A advogada e superintendente do Procon/JF, Léa Ganimi (foto ao lado), orienta, num primeiro momento, que o consumidor analise o contrato. “As pessoas estão sendo lesadas, mas não têm conhecimento e acabam pagando pela cobrança”, alerta.

    Segundo ela, caso o usuário receba a cobrança em sua fatura, ele pode solicitar a retirada da cláusula junto à operadora de TV. “Se eles não aceitarem retirar, o consumidor pode vir até o Procon que iremos tentar uma forma de conciliação entre as partes. Mesmo assim, se a cobrança persistir, ele pode levar o caso à Justiça”, informa.

    Outra orientação que Léa dá aos usuários do serviço de TV a cabo é que se previnam, ficando atentos, pois algumas empresas não constam a cobrança no contrato, mas cobram. “O consumidor tem que ficar atento a isso", diz.

    O que diz a NET
    Procurado pela equipe da ACESSA.com, o departamento de marketing da NET, com sede em São Paulo, respondeu que a cobrança de ponto adicional é feita em todas as praças em que é permitida por lei. Os custos, em Juiz de Fora, variam de R$ 8 a R$ 16, conforme o plano contratado.

    Segundo dados da Associação Brasileira de TV por Assinatura - ABTA -, há quatro milhões de usuários de TV por assinatura no Brasil, e 50% desses assinantes têm pelo menos um ponto adicional em casa.

    O Procon considera cláusulas contratuais abusivas:

  • Aquelas que diminuam a responsabilidade do fornecedor em caso de dano ao consumidor;
  • Proíbam a devolução de um produto com defeito, ou da quantia paga por ele;
  • Estabeleçam obrigações para terceiros;
  • Proíbam o consumidor de recorrer à Justiça;
  • Autorizam o fornecedor a alterar o preço;
  • Possibilitam ao fornecedor a modificação de qualquer parte do contrato;
  • Estabeleçam a perda das prestações pagas, em caso de descumprimento de alguma obrigação do consumidor, quando já estiver prevista a retomada do produto.

  • A Melhor Internet Está Aqui

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.