• Assinantes
  • Autenticação
  • Seus Direitos

    Atenção para as compras a prazo Parcelamento das compras é muito utilizado, mas são necessários alguns
    cuidados antes de fechar negócio. Anote as dicas importantes

    As facilidades de compra oferecidas pelo comércio buscam atrair os consumidores a qualquer custo. O pagamento em prestações é um dos recursos mais utilizados, mas nem sempre é um bom negócio.

    Segundo a vendedora Flávia Campos, o índice de vendas a prazo na loja de roupas em que trabalha gira em torno de 60%. "A maioria das pessoas paga com cheque ou cartão, principalmente se não houver juros nas parcelas", diz.

    De acordo com o coordenador executivo do Serviço de Defesa do Consumidor (Sedecon), Sebastião de Oliveira, a opção de parcelamento inclui encargos que, no final do pagamento, podem fazer o valor final do produto chegar ao dobro do preço à vista. "Além do produto em si, o consumidor estará pagando os juros e taxas de serviço, o que pode elevar consideravelmente o valor final", explica.

    A prazo X à vista

    O relojoeiro José Dimas Vidigal é adepto do parcelamento, mas só em casos de necessidade."Só compro parcelado quando não tenho condições de comprar à vista. Mesmo assim, eu procuro saber qual é o número de prestações que o produto é vendido sem juros", diz.

    Vitrine de loja Vitrine de 
loja

    Em alguns casos, o consumidor prefere ainda fazer uma poupança e evitar o parcelamento. É a opção do relojoeiro Rafael Silva. "Prefiro esperar ter o dinheiro todo e comprar à vista. Assim eu evito o acúmulo de dívidas para os meses seguintes", explica.

    Cuidados e dicas

    Vitrine de  loja Para o coordenador do Sedecon, a pesquisa é o principal aliado de quem quer comprar a prazo. "O consumidor deve procurar as menores taxas praticadas no mercado, para pagar o mínimo de juros e encargos possível", explica.

    Sebastião afirma que a compra à vista ainda é o melhor negócio e por isso o preço deve ser mais em conta que o parcelado. "Com o dinheiro em mãos o consumidor pode pechinchar, e conseguir descontos no valor real do produto", ressalta.

    O consumidor que quiser informações sobre algum estabalecimento ou se sentir prejudicado em alguma compra a prazo deve procurar o Sedecon na Câmara Municipal ou o Procon, na Avenida Independência, 992.

    Matéria produzida por Renato Costa em 28 de fevereiro de 2007

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.