SÃO PAULO, SP (UOL - FOLHAPRESS) - Morreu, nesta terça-feira (22), aos 81 anos, Erasmo Carlos, um dos grandes nomes da música brasileira. Além da música, o coração do "Tremendão" também carregava consigo a paixão pelo Vasco. Foram diversas as referências e homenagens que fez ao Cruz-Maltino ao longo da vida, incluindo uma composição chamada "Nosso Vasco Campeão".

O clube emitiu uma nota lamentando o falecimento do artista e lembrou um trecho da música: "Sai da frente, que o nosso Vasco vai passar...".

A relação de Erasmo com o clube da Colina começou ainda na infância, entre o fim dos anos 40 e o início dos 50. "Eu nasci vascaíno. Mas me apaixonei de verdade pelo time no fim dos anos 40, quando a equipe era chamada de 'Expresso da Vitória'", disse, em entrevista ao O Globo, em 2008.

No ano seguinte, citou a transmissão da Copa do Mundo de 1950 também como um marco para que esse sentimento ganhasse ainda mais corpo.

"Foi durante a Copa de 1950. Eu tinha nove anos de idade, escutava as transmissões pelo rádio e oito jogadores daquela seleção brasileira eram do Vasco. Além disso, toda hora éramos campeões de alguma coisa. Com o tempo, minha paixão foi aumentando cada vez mais", contou ao Terra, em 2009.

Nesta mesma oportunidade, ele também colocou Bellini, que atuou em São Januário entre 1952 e 1961 e tem o nome marcado na história do Vasco, como grande ídolo no esporte.

"[Melhor time do Vasco foi] Aquele que arrebentava no final da década de 1950, e que tinha Sabará, Valter, Almir, Vavá e Pinga no ataque. Foi duas vezes campeão carioca, campeão do Rio-São Paulo - que era o Brasileiro da época -, e de troféus na Europa, como o Teresa Herrera e o Torneio de Paris. O grande ídolo que eu tenho no futebol é o Bellini. Eu jogava as minhas peladas de zagueiro e tentava imitá-lo até no jeito de caminhar", afirmou.

Na música "Pega na mentira", o clube foi citado logo no primeiro verso, quando diz que "Zico tá no Vasco, com Pelé".

Em 2012, o Vasco organizou o show "Vamos todos cantar de coração", com diversos artistas cruz-maltinos, como Paulinho da Viola, Martinho da Vila, Teresa Cristina e Fernanda Abreu. Erasmo Carlos foi ao palco e cantou uma música de sua autoria em homenagem ao clube.

"Essa música posso dizer que comecei a fazer do nada, nos anos 80, na época em que estavam começando com isso de colocar as estrelinhas amarelas na bandeira do Vasco. Isso que é o início da música: 'Que bonito é o início da constelação / de estrelas amarelas / na bandeira do Vascão", contou, ao DVD produzido sobre o show.

Ainda em 2012, Erasmo colocou o Cruz-Maltino como uma das coisas que se tornaram o motor da sua vida, ao ser questionado sobre o fato de as mulheres serem temas recorrentes em um álbum então recém-lançado. "O que move minha vida é família, música, mulher e o Vasco. Nessa ordem. Falo dessas mulheres todas e ficou um monte de fora. Tinha uma lista de mais de 100 nomes. (...)", indicou, à Quem.

O artista também chegou a pedir um título de presente. Em 2016, ele encontrou o zagueiro Rodrigo, então um dos líderes do elenco cruz-maltino, de forma casual e registrou em uma rede social. "Saí para jantar no carnaval e... Dei de cara com o capitão Rodrigo (zagueirão do meu Vascão).. Aproveitei e pedi o título do Cariocão 2016 de presente para mim". A conquista acabou se concretizando, após final com o Botafogo.

Em 2019, o roqueiro lamentou a morte de Eurico Miranda, e. "Valeu, Eurico Miranda. Minha alma vascaína agradece pelas conquistas e momentos de alegria que você proporcionou a ela. Descanse em paz. Vasco sempre!"

Em postagem para celebrar o aniversário de 2021, o parceiro de Roberto Carlos pediu que continuasse "paciente com o Vascão do meu coração". Mais recentemente, em participação no Festival João Rock deste ano, Erasmo também citou o clube da Colina no palco.

O "Tremendão" ficou um tempo afastado dos estádios e tinha o filho Carlos Alexandre como companheiro para assistir às partidas.

"Eu estava no Maracanã quando o Vasco derrotou o América-RN por 2 a 1 e retornou para a Série A [em 2009]. Fui à convite da federação. Antes disso, não ia a um estádio desde aquela final do Mundial de Clubes de 2000, contra o Corinthians. Este ano, eu vi quase todos os jogos do time pela televisão, na companhia do meu filho, Alexandre, vascaíno de fé, companheiro de futebol, de batalha e de choro", afirmou, ao Terra.

Carlos Alexandre morreu em 2014, após um acidente de moto. O músico chegou a ser apresentador da VascoTV e teve o caixão coberto com a bandeira do clube.

*

Veja letra de "Nosso Vasco Campeão"

"Que bonito é o início da constelação

De estrelas amarelas,

Na bandeira do Vascão (2x)

Sai da frente

Que o nosso Vasco vai passar

Grande como é sua torcida

Unida pra fazer seu time campeão, mas que emoção

Nas águas da vitória eu vou nadar

E no maracanão vou festejar

Cruz de malta no peito do almirante,

Fé em Deus, nosso eterno comandante

Obrigado..

A bola vai rolar, o bicho vai pegar

E a rede balançar

Encantado..

Por essa multidão de preto e branco,

É a cruz de malta no lugar do coração !"