• Assinantes
  • Autenticação
  • Cultura

    Prêmio para a cidade O curta em animação, Alberico Procura, é premiado no II Festival Curta Três Rios - Cine e Vídeo

    Renata Cristina
    Repórter
    14/09/2006
    Um homem estressado em busca de inspiração para pintar. Essa é a história que deu vida e movimentos ao boneco de massinha Alberico, protagonista do curta em animação Alberico Procura, premiado com o trófeu de Menção Especial do Júri no II Festival Curta Três Rios. O curta também foi indicado ao trófeu de melhor filme do festival, levou o 1º lugar na categoria Melhor Roteiro, da Mostra Olhar Digital, em Juiz de Fora, e acabou de ser convidado para participar do Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro.

    Apesar da especulação, os responsáveis pela produção, Cacinho (foto acima à direita), Raoni Vidal (foto acima à esquerda) e Josy Visonar, alunos do curso de cinema e TV da Universo de Juiz de Fora, confessam que não esperavam o resultado. "Fizemos o curta durante o 1º período da faculdade", diz Raoni.

    O roteiro sofreu uma adaptação dos quadrinhos para as telas, já que teve como pano de fundo a história escrita pelo chargista Cacinho (foto ao lado), com o mesmo nome do curta. A inspiração para compor Alberico veio do cotidiano do próprio autor. "Acho que ele é um alter-ego meu. Sei que não pareço, mas vivo sempre estressado", revela o chargista.

    No enredo, Alberico representa um executivo estressado que foge da cidade Estressolândia e procura um local de inspiração para pintar. Sua tentativa é frustada por alguns imprevistos durante o passeio.

    Experimentando
    Para os produtores de primeira viagem, o recebimento do troféu foi um estímulo. Raoni (foto abaixo) conta que já havia tentado outras vezes criar histórias em stop motion, técnica de animação a qual os movimentos são fotografados quadro a quadro, mas que nunca havia "profissionalizado" esse trabalho. "Brincava com bonecos de massinha e filmava com uma câmera VHS cada movimento", recorda.

    Para compor o cenário, os estudantes contaram com os desenhos de Digu Hang. Os móveis, árvores e objetos de decoração foram surgindo de acordo com as reuniões do grupo, totalizando quatro meses só de criação.

    Os bonecos foram construídos por Raoni, inclusive o protagonista. No caso de Alberico, a equipe revela que houve uma modificação do personagem, devido a algumas dificuldades técnicas. "Era para o Alberico ser bem magro e mau humorado, mas ele saiu diferente dos nossos planos", confessa Cacinho.

    A gravação levou seis dias e foi feita com uma câmera digital, resultando em um total de 1.500 fotografias. Não bastasse o desafio de capturar as cenas, os estudantes tiveram que se aventurar pela edição e animar os personagens. Nessa hora, o tempo foi grande inimigo, já que tinham prazo para a entrega do trabalho na faculdade. A solução encontrada foi filmar os takes no computador e levar uma fita em VHS para o professor. Com isso, eles ganharam o prazo de uma semana para fazer a edição completa e contaram com a ajuda do colega Eduardo Brito.

    A proposta de enviar o curta para festivais partiu do incentivo dos próprios colegas de turma. "Não dá para fazer um filme e guardar na gaveta", comenta Cacinho. A equipe já está se preparando para as próximas produções. "Agora que aprendemos com os nossos próprios erros, queremos fazer mais", empolga-se Raoni. Que venham os próximos Albericos!


    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.