• Assinantes
  • Autenticação
  • Cultura

    À espera de sucessos Filmes indicados ao Oscar chegam com atraso às salas de cinema em Juiz de Fora

    Renata Cristina
    Repórter
    06/02/2007

    Alguns deles já estão em cartaz na cidade. Outros, devem demorar cerca de um a dois meses para chegar em Juiz de Fora. Mais uma vez, o atraso dos filmes indicados ao Oscar bate à nossa porta. Verdade é que a coisa poderia ser pior sem "Os Infiltrados", indicado a melhor filme, e em cartaz há quinze dias nas salas juizforanas, e "À Procura da Felicidade", em que Will Simth é indicado ao prêmio de melhor ator, e está em sua semana de estréia no circuito.

    Embora tenhamos dois motivos para comemorar, o entusiasmo seria maior se "Babel" (vencedor do Globo de Ouro de Melhor Filme e com sete indicações ao Oscar), "A Rainha" (com dois Globos de Ouro, nas categorias de Melhor Atriz e Melhor Roteiro - tem seis indicações ao Oscar) e "Pequena Miss Sunshine", além de "A Conquista da Honra" e "Apocalypto", disputando a melhor edição de som, estivessem nas telonas de Juiz de Fora, assim como acontece em todo o país.

    Foto do filme Babel Só para se ter uma idéia do atraso em relação ao circuito nacional, dos sete filmes que concorrem a uma estatueta e em cartaz na maioria das salas brasileiras, somente dois estão em exibição em Juiz de Fora e a expectativa é de que apenas um deles chegue as salas de cinema nos próximos dias. Mesmo com previsão para estrear esta semana na cidade, "Babel" teve lançamento nacional no dia 19 de janeiro e, portanto, chega com "cheiro de mofo" nos cinemas locais.

    Ainda sem expectativa de lançamento na cidade é "Apocalypto", que teve estréia nacional no dia 26 de janeiro. Acrescente na lista do último dia 02, "A Rainha" e "O Último Rei da Escócia" sem datas para exibição em qualquer local. Já com um maior grau de otimismo, há murmúrios de que "Dreamgirls - Em Busca de um Sonho" chegue pela Zona da Mata ainda em fevereiro.

    Causas do problema

    Foto de A Rainha Mesmo que "soe" estranho justificar a ausência de filmes com destaque internacional nas telonas da cidade, há razões que podem ajudar os cinéfilos de carteirinha a entender o "por que não" desta história.

    De acordo com a sub-gerente do Moviecom Alameda, Adriana Cecília De Paula, o número de cópias que chegam ao Brasil é insuficiente para atender, em um primeiro momento, as cidades de médio porte, como é o caso de Juiz de Fora. "Infelizmente, tudo depende da disponibilidade de distribuição e não podemos fazer muito para interferir nesse ponto", lamenta.

    Um número razoável de cópias estaria em torno de 50 a 60 exemplares dos longas, mas conforme informam os proprietários de cinema da cidade, somente filmes populares chegam a superar essa marca, com cerca de 100 reproduções. Este é o caso de "Xuxa Gêmeas", que estreou no país com 92 cópias. Já filmes do circuito alternativo, como foi o caso do espanhol "Volver", estreiam no país com aproximadamente 20 cópias, fato que dificulta a exibição.

    O espaço físico é outro entrave para o lançamento de filmes na cidade. Tudo isso porque o número de salas não é capaz de absorver todos os lançamentos de uma única vez.

    Foto do filme Pequena Miss Sunshine Segundo o gerente do Duo Cine Santa Cruz, Marcelo Magalhães, os contratos com as distribuidoras exigem um tempo mínimo de exibição dos trabalhos, período necessário para que o cinema também tenha um retorno financeiro do filme. "No meu caso, além de superar o problema do número de cópias reduzido, tenho somente duas salas".

    A temporada de lançamentos dos filmes nacionais, no mesmo período em que são anunciados os concorrentes ao Oscar, também deixam os donos de cinemas confusos. É o que acontece com Magalhães, já que prefere apostar em sucessos infantis no período das férias. "Cada cinema tem o seu público-alvo na cidade e as crianças são grande parte do meu. Preciso trazer Xuxa, Didi, entre outros filmes", diz.

    A equipe de jornalismo da ACESSA.com entrou em contato várias vezes com o Espaço Unibanco Palace, em Juiz de Fora e em São Paulo, mas não conseguiu informações sobre o assunto até o encerramento da matéria.

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.