• Assinantes
  • Autenticação
  • Cultura

    O Lapa Azul Documentário mostra a trajetória dos pracinhas
    de Juiz de Fora e região na II Guerra Mundial

    Frederico Andrade
    *Colaboração
    01/09/2007

    Contar, principalmente para os jovens, como foi participação da Força Expedicionária Brasileira (FEB), dando voz aos soldados, aqueles que carregam o fardo mais pesado de uma guerra, e que no Brasil são quase sempre esquecidos foi o grande desafio do Major do exército Durval Lourenço Pereira Júnior que produziu o documentário "O Lapa Azul".

    "Infelizmente, a história da FEB é quase desconhecida no país. Os livros de história não trazem a sua trajetória, e os que a citam, a resumem em uma linha, este que é o mais importante momento histórico do Brasil no cenário mundial do século XX", afirma o Major, que também critica as obras militares especializadas: "A própria bibliografia militar prioriza os aspectos táticos, estratégicos e as implicações políticas da Guerra, ou ainda, a vida dos líderes militares, deixando de lado o relato do simples soldado".

    Lapa Azul foi o nome dado ao III Batalhão do 11º Regimento de Infantaria na II Guerra Mundial. Agrupamento que foi formado por jovens humildes, em sua maioria agricultores e trabalhadores de pequenos comércios, das cidades do interior mineiro, voluntários ou convocados. Depois de formado, o batalhão passou seis meses em treinamento no Rio de Janeiro e, no dia 18 de setembro de 1944, embarcou para a Itália, onde ficaria cerca de um ano.

    O documentário de 60 minutos conta com depoimentos de 15 veteranos de Juiz de Fora e região, sendo que 11 ainda se encontram por aqui. Para gravar com os demais, Durval percorreu algumas cidades dos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. "Precisamos dar voz a estes representantes de nossa história, antes que ela se perca. A média de idade destes homens é de 85 anos. Em países como EUA, Itália e Rússia, por exemplo, há uma grande produção audiovisual destinada a seus veteranos de guerra, no Brasil isto não existe", conta.

    Valendo-se das modernas ferramentas de computação gráfica e imagens de satélite, a obra recria digitalmente os campos de batalha por onde o "Lapa Azul" passou. Para a construção do documentário, Durval conseguiu ainda, filmes e fotografias raros, alguns inéditos no Brasil, extraídos de bibliotecas e acervos da Itália e dos Estados Unidos. "Para a obtenção deste material contei com o total apoio da Associação dos Ex-Combatentes do Brasil e de seus contatos nestes países. Os nossos veteranos de guerra são muito mais valorizados na Itália que no Brasil", informa o produtor.

    Lançamento

    O lançamento do documentário aconteceu na última terça-feira, dia 28 de agosto, no Alameda. Segundo Durval a sala de exibição, a maior do shopping, ficou lotada e a produção foi aprovada pelos diferentes públicos que foram conferir. "O melhor para mim foi quando acabou a exibição e cada pessoa que vinha falar comigo elogiava um aspecto diferente da obra", comenta.

    Ficha Técnica

    Brasil - 2007 - 60 min - Mini DV - NYSC 4:3
    Direção: Durval Lourenço Pereira Júnior
    Roteiro: Adriana Rezende de Pinho
    Direção de Fotografia (Brasil): Mauro Pianta
    Fotografia (Itália): Wallace Hull/ HG2 Studio
    Ilustrações: Alessandro Ribeiro Corrêa
    Direção Executiva e Musical: Durval Lourenço Pereira Júnior
    Trilha Sonora: Fernando Barreto
    Música Original (pracinha): Zico e Zeca
    Mixagem da Trilha Sonora: Nilo Barreto
    Consultor Histórico: Marcos Antônio da Costa
    Revisão: Cássia dos Reis
    Pós-Produção e Edição Final: Insight Vídeo

    *Frederico Andrade é estudante de Jornalismo na UFJF

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.