Redefinição de ética e verdade é discutida em Juiz de Fora Affonso Romano De Sant'Anna pretende criar consciência crítica através de análise sobre conceitos milenares na sociedade contemporânea

Marinella Souza
Colaboração*
11/08/2008

Poeta, ensaísta, cronista e professor Affonso Romano de Sant'Anna vem a Juiz de Fora para uma conferência sobre um tema bastante delicado: a ética e a verdade.

Segundo o conferencista, há pelo menos duas maneiras de se tratar o assunto. Uma delas é rastreando a questão da ética e da verdade através da história. A outra é fazer um enfoque atual, que corresponda às expectativas da sociedade pós- moderna.

Acima de tudo um crítico da sociedade na qual está inserido, Sant'Anna vai usar a segunda forma de análise para debater as variações que a sociedade contemporânea provocou nos conceitos.

"Tomarei sobretudo o segundo caminho, para ver como a sociedade da pressa, da fragmentação, da sociedade que valoriza o aspecto provisório, da superficialidade e, sobretudo, a falta de valores, a quebra de hierarquias, essa mistura entre centro e periferia, belo e feio, do certo e do errado lida com a questão da ética e qual o desafio que nós temos diante disso".

Segundo ele, o objetivo é conversar sobre a urgência em se redefinir a ética e a verdade na sociedade atual. Ele compara a cultura contemporânea ao episódio do navio Tittanic, quando as pessoas continuavam dançando e se divertindo, enquanto o navio afundava. "Nossa cultura se assemelha aos passageiros daquele navio, que está caminhando para um desastre e as pessoas ao invés de tomarem a direção do barco em suas mãos se contentam em ficar no convés fazendo festa e fingindo que nada está acontecendo".

Foto de Affonso
Romano de Sant'Anna Para o autor, o século XX trouxe muitas contribuições para a História, mas ao mesmo tempo deixou essa História desnorteada e, nesse sentido, a humanidade vive uma espécie de "ressaca do século XX", ou seja, ainda não permitiu que o século XXI aconteça de verdade, gerando um profundo mal-estar social.

"Esse final de século criou uma certa confusão de valores e isso se manifesta na arte, claramente, com a idéia de que não existe mais arte, que qualquer pessoa pode ser artista, qualquer pessoa pode ser crítico de arte. Não há mais critérios estéticos, assim como não há mais critérios éticos e isso é uma grande mentira, porque a civilização se organizou a partir de princípios e normas e a ética foi a primeira lei constituída já na sociedade grega para diferenciar o homem bárbaro do homem civilizado".

Como saída para essa condição alienada a que a ideologia pós-moderna leva o ser humano, Affonso Romano de Sant'Anna aponta a consciência crítica, entender a crise de valores que a sociedade está vivendo e pensar no melhor caminho a se seguir. É essa reflexão que o autor, cronista, poeta e ensaísta promete para a conferência.

A conferência A ética e a verdade acontece no dia 11 de agosto, na OAB (Avenida dos Andradas, 696 - Centro), às 19h30.

*Marinella Souza é estudante de Comunicação Social da UFJF

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.

Arquivo

Ver mais...