• Assinantes
  • Autenticação
  • Cultura
    Sábado, 20 de maio de 2009, atualizada às 12h

    Festival de Música Colonial Brasileira e Música Antiga oferece 39 cursos e oficinas, sendo que três têm inscrições esgotadas

    Da Redação

    Os interessados em participar das oficinas e cursos sobre instrumentos na vigésima edição do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga devem garantir a participação com antecedência, pois três cursos - canto, violoncelo e viola - já estão com as vagas esgotadas. Ao todo, são 39 cursos e oficinas com 46 professores brasileiros e estrangeiros. O evento ocorre entre os dias 19 de julho e 1º de agosto, em Juiz de Fora.

    Os candidatos aos outros 36 cursos e oficinas de instrumentos antigos e modernos, práticas de orquestras, regência e coral, didática da musicalização, transcrição e edição de documentos antigos, além de didática da musicalização infantil podem se inscrever no Pró-Música (avenida Rio Branco, 2.329) ou pelo site do Centro Cultural. O valor da taxa de inscrição é de R$ 100, por curso. O pagamento pode ser feito com cheque nominal ao Centro ou depositado no Banco do Brasil (agência 0024-8, conta 6745-8). No caso do depósito, o comprovante deve ser remetido junto com a ficha de inscrição. A expectativa da organização é receber a inscrição de cerca de 600 alunos.

    Na programação cultural, formada por mais de 30 concertos vespertinos e noturnos, em teatros e nas ruas, todos gratuitos, destaque para as apresentações de Sigiswald Kuijken, do conjunto francês Le Poème Harmonique, capitaneado por Vincent Dumestre, da Orquestra Barroca do Festival, dirigida pelo violinista barroco Luis Otávio Santos, e do trio formado pela cravista Rosana Lanzelotte e os violoncelistas Alberto Kanji e o aclamado Antonio Meneses.

    Também merece destaque a presença da Orquestra Sinfônica do Estado de Minas Gerais, regida por Charles Roussin, que fará o concerto de abertura no dia 19 de julho. Já o encerramento ficará por conta da Orquestra Petrobras Sinfônica, sob regência de João Maurício Galindo, em apresentação que será no dia 1º de agosto. O alto nível das atrações é marca do Festival, que, na trajetória de duas décadas, já contou com a participação das principais orquestras do país. O evento integra o calendário do ano França- Brasil.

    Os textos são revisados por Madalena Fernandes

     

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.