Terça-feira, 27 de dezembro de 2016, atualizada às 16h07

20ª Mostra de Cinema de Tiradentes acontece em janeiro

Bruno Caniato
*Colaboração

Em 2017, a tradicional Mostra de Cinema de Tiradentes completa 20 anos de realização. Entre os dias 20 e 28 de janeiro, o festival exibirá 72 filmes de 11 estados brasileiros, divididos em 10 mostras temáticas, além de oferecer oficinas gratuitas na área de audiovisual e trazer pesquisadores e especialistas para mesas de discussão sobre o fazer cinematográfico. Confira aqui a lista de curtas selecionados.

A 20ª edição da Mostra traz o tema "Cinema em Reação, Cinema em Reinvenção". Segundo o curador Cleber Eduardo, a proposta é uma reflexão sobre o cinema e a arte no contexto da efervescência política e social que marcou o ano de 2016 no Brasil. "A reação aos recentes acontecimentos políticos ou sociais só terá força se o cinema for colocado como carro-chefe, e não como palanque, megafone, hashtag ou militância”, afirma. "Para um cinema verdadeiramente político, a estética deve estar ao lado ou à frente do político."

As homenageadas do festival em 2017 serão as atrizes Leandra Leal e Helena Ignez, destaques de atuação, produção e direção em períodos distintos do cinema brasileiro. Ao longo da mostra, serão exibidos o curta "A Miss e o Dinossauro" (2007), dirigido por Helena, e o documentário "Divinas Divas" (2016), primeira direção de Leandra, com foco nas vidas de oito mulheres trans cariocas. Também estarão nas telas os longas "Nome Próprio" (2007), com atuação de Leandra, e "A Mulher de Todos" (1969), estrelado por Helena.

Mostra Aurora

Na mesma edição, a Mostra Aurora, principal mostra competitiva de longas-metragens do festival, celebra dez anos de realização. O objetivo da Aurora é dar visibilidade a longas de diretores em início de carreira, com destaque a formas inovadoras e experimentais de cinema. Os filmes selecionados são avaliados pelo Júri da Crítica e concorrem ao Troféu Barroco, além de prêmios oferecidos por parceiros do festival.

Para Cleber Eduardo, curador da mostra, os sete filmes selecionados para a Aurora, originários de três estados brasileiros, têm relação direta com o tema de efervescência política do festival e a proposta de inovação da mostra. "Os longas a serem exibidos apresentam, de maneiras muito distintas entre si, algum tipo de olhar sobre o contexto em que o Brasil está”, explica. "Não são inclinações políticas óbvias; as questões aparecem na contingência de vida dos protagonistas, que reflete situações de precarização social e existencial do indivíduo."

Oficinas

Além das exibições de filmes, a Mostra conta com oficinas gratuitas de capacitação em cinema e audiovisual, com o propósito de expandir o ensino da sétima arte ao público em geral e contribuir para o desenvolvimento da indústria cinematográfica nacional.

Ao todo, as dez oficinas contam com 240 vagas em 10 modalidades. Os interessados podem se inscrever pelo site oficial do evento até o dia 5 de janeiro. Serão seis oficinas voltadas ao público adulto (maiores de 18 anos) e quatro para faixas de 9 a 18 anos; os temas incluem noções de edição, montagem, direção, fotografia e stop motion. Clique aqui para acessar a programação completa das oficinas.

*Bruno Caniato é estudante de Jornalismo da UFJF

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.