Quarta-feira, 2 de agosto de 2017, atualizada às 8h

Festa Literária de Minas Gerais reúne mais de 120 atrações em Rio Novo

Da redação

A Festa Literária de Minas Gerais (FliMinas), que neste ano ocorre entre 17 e 20 de agosto em Rio Novo, a 57 quilômetros de Juiz de Fora, dá sequência ao projeto lançado pela Associação Cavaleiros da Cultura (ACC) que movimenta e atrai milhares de espectadores desde 2014. Com uma programação que traz autores das mais variadas vertentes da literatura, o evento terá mais de 120 atrações ocupando espaços diferentes em torno da Praça Prefeito Ronaldo Dutra Borges.

Com o tema “Tem poesia no meio do caminho”, Carlos Drummond de Andrade terá a obra celebrada e seus 30 anos de morte lembrados este ano. Mas se engana quem pensa que a escolha do homenageado aconteceu de forma aleatória. A relação de Drummond com a ACC vem de longa data. O poeta foi amigo íntimo do idealizador da Associação, o arquiteto Oscar Niemeyer e tema de duas cavalgadas organizadas pela ONG.

A exemplo das três edições da antiga Festa Literária de Rio Novo, o evento vai contemplar de forma gratuita programação para o público de todas as faixas etárias. Estão confirmadas mesas de debates, lançamentos de livros e bate-papo com diversos autores, sessões de contação de histórias, diversas oficinas nas áreas de literatura, artes plásticas, artesanato, além de exposições, espetáculos de teatro, cortejos e shows musicais.

Programação

  • A rionovense Maria Luiza Varotto, estudiosa da obra de Drummond, apresentará, com convidados, no dia 19 de agosto, 14h, no Centro Cultural, "Drummond em Verso e Prosa", reunindo poesias e crônicas do autor.
  • Desvendando o comportamento humano, muitas vezes escondido pela aparência, a autora e psicoterapeuta Simone Demolinari lançará “Verdade Oculta – a vida íntima das emoções”, às 15h. De maneira simples, profunda, sem conselhos e sem fórmulas prontas, a narrativa convida o leitor a uma reflexão sobre vida e ao autoconhecimento.
  • Apresentando um divertido dossiê de desastres culinários sofridos por grandes chefs teremos a jornalista juiz-forana Renata Monti e o seu “Tô Frito!”. Organizado em parceria com Luciana Fróes, crítica gastronômica de O Globo, elas chegam à Rio Novo para lançamento no domingo, 20, ao meio-dia, na Tenda Drummond. No livro, 20 dos mais celebrados chefs do Brasil contam, sem qualquer pudor e com muito humor, os maiores desastres por que passaram entre mesas e fogões – alguns deles com final feliz.
  • Para os jovens e amantes do gênero fantástico, Oscar Nestarez desembarca de São Paulo, dia 18 de agosto, às 9h45, Centro Cultural, para falar sobre literatura, ficção e horror. O premiado autor aproveita ainda para lançar “Horror Adentro”, sua mais recente obra, separada em treze contos que têm como eixo central as obscuridades da mente e as relações ocultas entre indivíduos, objetos e situações.
  • A jornalista Tina Correia lançará, dia 20, às 14h, na Tenda Drummond, seu romance de estreia na FliMinas – Edição Drummond. “Essa Menina – de Paris a Paripiranga”, vencedor do Prêmio Permínio Asfora da União Brasileira de Escritores, vem com aplausos de monstros sagrados da literatura como Zuenir Ventura, Arnaldo Niskier e Ana Maria Machado, todos da Academia Brasileira de Letras, e outros nomes como Glória Perez e Frei Betto.
  • “Mulheres na Ficção Brasileira” é o título do livro e do bate-papo,  dia 19, às 13h, que a autora Helena Arruda apresentará na FliMinas. No livro, Arruda busca uma análise das personagens femininas das obras Lucíola, de José de Alencar; Dom Casmurro, de Machado de Assis; Ópera dos Mortos, de Autran Dourado e Amores Exilados, de Godofredo de Oliveira Neto, tendo por objetivo analisar o impacto causado pelo universo representativo dessas personagens: Lucíola, Capitu, Rosalina e Muriel – respectivamente – e o seu papel na construção do romance brasileiro.
  • Tendo um importante papel entre as artes de resistência no período da ditadura, a literatura sobre este tema também terá espaço na FliMinas. Daniela Arbex (Cova 312), Cristina Chacel (Seu Amigo Esteve Aqui) e Marília Guimarães (Habitando o Tempo) vão compor uma mesa de debates, 19, às 11h, sobre o assunto e lançarão olhares baseados em suas respectivas obras. Relatos e memórias registrados nos livros e que mostram a saga daqueles que sofreram na própria pele o lado mais obscuro dos anos de chumbo, quando os desmandos acontecidos nos porões dos quartéis eram lei no país.

Com informações da Assessoria

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.