Mais de 60 crianças produzem curta em oficinas remotas em Leopoldina

Produção será lançada nesta terça-feira em comemoração pelo aniversário da cidade mineira

da Redação - 27/04/2021

Mais de 60 crianças produziram um curta-metragem nas oficinas de artes da segunda
edição do Festival É Tudo Criança. A produção tem lançamento nesta terça, 27, no canal do
YouTube e no Instagram do
evento (@festivaletudocrianca), em comemoração aos 167 de Leopoldina, cidade onde surgiu o
festival e cenário do filme realizado em rotoscopia.

"Animação com criança é sempre muito divertido, porque elas são muito intuitivas e
compreendem os processos rapidamente. Mas a distância complica um pouco, porque o
processo não é visto na hora", pontua Mirian Rolim, que ministrou de forma remota a oficina de
animação em rotoscopia. Para o trabalho, os pequenos e as pequenas leopoldinenses
receberam cenas, algumas de filmes da edição passada, para, assim, construir a rotoscopia.
"As cenas foram impressas como uma fotografia, nomeadas com uma legenda embaixo
e cada criança recebeu uma para animar. As apostilas foram recolhidas nas casas delas e
escaneadas para que a edição do curta acontecesse", explica a profissional, graduada em cinema
de animação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Como um “esquenta” da edição que acontece on-line entre os dias 7 e 11 de junho, o
Festival É Tudo Criança também realizou oficina de desenho, com Zezé Salles. "Foi uma
experiência incrível”, avalia Zezé, pedagoga e contadora de histórias de Leopoldina com longa
trajetória nas artes cênicas local. "Entrei dando algumas dicas sobre colorido, desenho, figuras
geométricas, linhas, uso da imaginação e importância por deixar fluir a criatividade. Fui
surpreendida positivamente", avalia ela, uma das fundadoras do Grupo Teatral Seiva de Luz.

On-line para alcançar ainda mais crianças

Em sua segunda edição, o Festival de Cinema Infantil É Tudo Criança é uma iniciativa
inédita na região e ganha nova dimensão este ano, quando espera alcançar mais de 10 mil
espectadores no país. “A troca e a vivência coletiva foi alterada com a pandemia e ocorre, agora,
no ambiente familiar. Espero que o festival também sirva a esse momento de comunhão e
possibilite que toda a família assista junta, debata, brinque e experimente fazer cinema”,
observa Iano Oliveira, coordenador do evento.

O festival, que em 2021 recebeu 129 inscrições de todo o Brasil, será transmitido pelo
site (www.festivaletudocrianca.com.br), e se dividirá em quatro mostras: duas especiais (Criança
Faz Cinema e Sabiá) e outras duas competitivas (Infâncias Plurais e Minas Gerais). Todos os
filmes concorrerão ao prêmio de melhor filme pelo júri popular e os integrantes da mostra
competitiva irão concorrer à melhor filme pelo júri técnico.

O evento conta ainda com o Webinário "Infância, educação e cinema", além de oficinas
de arte. “Temos o compromisso de contribuir com a formação intelectual, artística e motora das
infâncias”, indica Iano Oliveira, que espera divulgar os selecionados no início de maio. Nesta
edição, o Festival É Tudo Criança foi contemplado com os recursos do edital estadual da Lei Aldir
Blanc.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.