Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga começa dia 25

Este será o segundo ano em versão totalmente virtual

da Redação - 20/10/2021

O Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga chega à sua 32ª edição reafirmando sua posição como um dos mais importantes e tradicionais eventos do gênero no Brasil. Este será o segundo ano em versão totalmente virtual, com concertos e lives acontecendo pelo canal da Cultura Artística no YouTube entre os dias 25 e 29 de outubro, sempre com foco na formação de público, uma das caraterísticas mais fortes do evento. A edição deste ano será dedicada ao estudo e à interpretação da música antiga e organizado pela Pró-reitoria de Cultura da Universidade Federal de Juiz de Fora, por meio do Centro Cultural Pró-Música. 

O Festival integra o Encontro Tríplice de Música Antiga, que conta com o apoio da Cultura Artística e leva o título Ut pictura musica (“Como a pintura, é a música”), numa referência à célebre expressão Ut pictura poesis utilizada pelo poeta Horácio em sua “Arte Poética”. O Encontro é a união de forças de três renomadas instituições para realizar um grande evento totalmente voltado à música antiga: a USP com seu tradicional Encontro de Poética Musical, que acontecerá em novembro, o Conservatório de Tatuí com a já consagrada Semana de Performance Histórica, realizada em setembro, e a UFJF com seu respeitado Festival internacional. “Em um período de enormes dificuldades para a cultura e para a educação em nosso país, um encontro deste porte não é apenas uma forma de resistência e resiliência, mas também uma maneira de conjugar esforços e colocar em diálogo devotados professores e talentosos intérpretes da música antiga tanto de nosso país quanto da Europa e da América do Sul”, afirma William Coelho, que divide a direção artística desta 32ª edição do Festival com o professor Marcus Medeiros, do Centro Cultural Pró-Música/UFJF, e que rege o concerto de abertura do evento no próximo dia 25, à frente do EOS - Conjunto de Música Antiga da USP, com a apresentação de uma brilhante e desafiadora cantata de Bach.

Além das lives das 19h30, que antecedem os concertos marcados para as 20 horas, a edição deste ano terá cinco dias extras, à parte da programação oficial, contando com uma série de cinco documentários que discutirão a relação entre música e pintura nos dias 10, 12, 15, 17 e 19 de novembro, às 20 horas.

Programação

Dia 25
19h30 - Live
20 horas - Música para os olhos 1
Johann Sebastian Bach
Cantata  Jauchtzet Gott in allen Landen (BWV 51)
EOS – Conjunto de Música Antiga da USP
William Coelho: regência
Ana Carolina Moura: solista

Dia 26
19h30 - Live
20 horas - Música para os olhos 2
Filippo Gragnani
Sexteto op. 9
Ensemble Salón 1800

Dia 27
19h30 - Live
20 horas -  Música para os olhos 3
Arcangelo Corelli
Trio-sonata op. 3 nª 2
Roger Ribeiro e Luan Braga: violinos
Ana Cecília Tavares, Pedro Diniz e Gustavo Mazon: baixo-contínuo

Dia 28
19h30 - Live
20 horas - Música para os olhos 4
Giovanni Bassano (1561-1617): diminuições e canzontte
Consort Bassano da USP
Alfredo Zaine, Daniel Figueiredo, Giulia Tettamanti e Luciana Castillo: flautas doces

Dia 29
19h30 - Live
20 horas - Música para os olhos 5
Obras de John Dowland (1563-1623) e suas variações por Jacob van Eyck (1590-1657)
Ludmilla Thompson: soprano
Alfredo Zaine: flauta doce
Pedro Diniz: cravo

Novembro

Dia 10
20h - Episódio 1
O 5º Evangelista

Dia 12
20h - Episódio 2
Cânone acidental ou Gragnani buena onda

Dia 15
20h - Episódio 3
O jardim de Corelli

Dia 17
20h - Episódio 4
O reverso das ruínas

Dia 19
20h - Episódio 5
Melancolia no jardim das delícias.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.