I May Destroy You retrata a vida contemporânea de jovens adultos


Rafael Cardoli 28/08/2020

Arabella é uma independente londrina com uma promissora carreira de escritora. Mas quando colocam drogas em sua bebida, ela precisa questionar e reconstruir todos os elementos de sua vida.

Com episódios curtos, a narrativa flui de forma eficaz e rápida. A produção é do Reino Unido e retrata a vida contemporânea de jovens adultos.

O nível de qualidade de "Euphoria" (HBO) deixou marcas no mundo das séries. Quando uma produção - seja um filme ou série - se destaca pela qualidade, ela tende a influenciar futuras produções.

"I May Destroy You" carrega influências visuais da série protagonizada por Zendaya. Suas luzes roxas, neons e o jeito cru e sem cerimônia de mostrar a vida dos personagens são marcas dessa produção.

O que mais chama atenção aqui são os assuntos que ela aborda, que vai: da maneira como as pessoas se relacionam, o uso sem equilíbrio da tecnologia e assédio.

O uso quase que viciado (viciado com certeza) do celular, o uso das redes sociais como uma ferramenta de fuga de questões pessoais que inquietam a mente, a liquidez das relações afetivas, as marcas no subconsciente e no emocional que uma vítima de assédio pode carregar consigo e as incertezas sobre o futuro. A série narra e mostra tudo isso com pitadas de humor e diálogos bem construídos que deixam o conteúdo um pouco mais leve.

Destaque também para o elenco que faz um excelente trabalho e, principalmente, a criadora, roteirista, diretora e atriz Michaela Coel, que interpreta Arabella, protagonista do show.

A qualidade técnica também não deixa a desejar com sua fotografia cinza retratando uma Inglaterra com temperaturas baixas, mas, também, da frieza das relações cotidianas.

A série aborda, ainda, questões homoafetivas e de como esses personagens lidam com relações mediadas por aplicativos.

Uma curiosidade é que sua criadora tentou vender o roteiro para a Netflix, mas não teria nenhum direito criativo sobre ela. Sendo assim, a moça procurou a BBC.

A série é uma coprodução entre BBC e HBO, ou seja, difícil ser ruim né.

A produção pode ser encontrada na HBO e na HBO GO (serviço de streaming do canal).

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.