SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A rede varejista Havan informou, nesta terça-feira (22), que não irá mais investir em patrocínios de clubes de futebol. A rede catarinense de lojas era parceira de Flamengo, Athletico, Cascavel e Brusque.

A empresa afirmou que a medida é "por conta do momento econômico e político que o Brasil vive". Dono da Havan, o empresário Luciano Hang sempre foi um apoiador de primeira hora do presidente Jair Bolsonaro.

O contrato com o Flamengo termina em 31 de dezembro e rendia um pouco mais de R$ 12 milhões para os cofres rubro-negros. A marca era exposta na manga do uniforme. Todos os acordos entre a empresa e as agremiações terminavam no último dia do ano.

A Havan também foi parceira do Vasco, mas o acordo não foi renovado ao final de 2021.

Confira a íntegra da nota"Por conta do momento econômico e político que o Brasil vive, a Havan está revendo todos os seus investimentos para o próximo ano. Com isso, informa que, para 2023, não renovará o patrocínio com nenhum time esportivo, como Flamengo, Athletico Paranaense, Cascavel e Brusque. O contrato vigente com os clubes segue até o final, com encerramento em 31 de dezembro de 2022.

A Havan tem muito orgulho em ter participado da história dos times e acompanhado a evolução de cada um durante esse período em que permaneceu junto. Pela ótima relação que sempre manteve com os clubes, a Havan permanece de portas abertas para caso haja interesses mútuos futuramente.

Por fim, agradece a confiança e parceria construída durante todo o período junto às diretorias, atletas e torcidas dos times patrocinados e espera que todos entendam essa decisão no momento que o Brasil atravessa".