SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - Produtos como relógios, joias, livros e ebooks são os que tiveram mais descontos nas horas que antecederam o início oficial Black Friday, entre as 16h desta quinta-feira (24) até 0h desta sexta (25).

Segundo a Promobit, os consumidores podem encontrar descontos de até 48% ao comprar esses produtos. Moda e calçados masculinos (desconto de 46%), esporte e lazer (45%), câmeras, filmadoras e drones (44%), moda e calçados femininos (44%) e mochilas e malas (44%) também estão no topo da lista das promoções.

A plataforma especializada em descontos aponta que, na média dos três últimos anos, o número de ofertas começou a crescer a partir das 16h da véspera nas principais varejistas do país.

Na Casas Bahia da marginal Tietê, o horário de maior movimentação foi entre 19h30 e 22h30 desta quinta, impulsionado por uma ação da Samsung que distribuiu vouchers com descontos de R$ 1.000 e R$ 600 para dois modelos específicos de televisões da marca. Segundo a loja, a maior busca foi por ofertas de itens de eletrodomésticos e tecnologia.

Por volta da meia-noite, porém, início oficial da Black Friday, a loja estava vazia. A unidade da marginal Tietê está com horário expandido para a data de promoções, funcionando sem interrupção das 9h do dia 24 às 22h desta sexta.

Na internet, já foram registradas reclamações sobre golpes, promoções falsas e atrasos em entregas.

Dois usuários do Reclame Aqui denunciaram um link fraudulento que imita o site da varejista Magazine Luiza.

"Estava pesquisando uma máquina de lavar e achei através do Google um site que se dizia da 'Magalu', com preço acessível, porém o site era falso. Não me atentei, pois era tão idêntico ao original que não desconfiei", disse um consumidor.

A Magazine Luiza afirmou que está analisando o caso. Os links já foram excluídos.

Outros relatos contam que a 2RStore anunciou a venda de camisas oficiais da seleção brasileira de futebol, mas atrasou a entrega ou enviou o produto errado. Cadastrada há 16 dias no Reclame Aqui, a empresa já ocupa o 6° lugar no ranking das mais reclamadas, com 816 queixas.

A Folha de S.Paulo tentou contato com a 2RStore, mas não teve retorno até a publicação deste texto.