A motivação em uma empresa O trabalhador precisa mais do que um bom salário para ter motivação

Thiago Werneck
*Colaboração
16/05/2007

Bom dia, por favor, obrigado, parabéns... Palavras simples e que podem mudar os resultados de uma empresa e o desempenho dos funcionários. O reconhecimento e o conforto de um funcionário dentro da empresa podem ser conquistados com simples palavras de educação que pode até mesmo valer mais do que um aumento de salário.

Os apressados já pensam: mas não existe melhor fator motivante do que ganhar mais. O problema é que esse motivador traz uma solução a curto prazo. Porque não há meios de dar aumento todo mês e a verdadeira motivação é aquela que se conquista no dia-a-dia. O que pode acontecer é que o motivado pelo aumento talvez se senta assim novamente somente se seu salário aumentar mais uma vez.

O gerente de Recursos Humanos de uma empresa de Mineração e Construção, Kiko Schlinz, explica (foto abaixo) que os funcionários querem é dignidade. "Já vi pessoas trocando de empresas, aceitando ganhar 30% menos dinheiro, por saber que vai ter mais reconhecimento. Uma motivação eficaz só acontece quando desde o presidente da instituição até o faxineiro se cumprimentam e trocam pelo menos um bom dia entre si", destaca.

Kiko Schlinz A empresa onde Kiko trabalha foi eleita por uma renomada revista de economia, uma das melhores para se trabalhar em todo o país, em pesquisa com os próprios funcionários. "Sem dúvida esse é um belo reconhecimento de nosso trabalho. Pagamos os melhores salários, damos benefícios e reconhecimento. E o essencial é que todos sabem que são importantes dentro da empresa", conta.

O método utilizado para todos se sentirem bem é um trabalho feito com líderes de cada setor. Cada uma dessas lideranças sempre dá os parabéns por um bom trabalho, pede por favor, cumprimenta todos funcionários. Kiko destaca que essa boa convivência faz a pessoa se sentir bem dentro do ambiente de trabalho. "O trabalhador sente dignidade e veste a camisa da empresa. Ele valoriza seu trabalho, tem retorno e por isso rende muito mais. É um ciclo vicioso de boa produtividade", relata.

Vitor Gama Em todo esse processo a palavra fundamental é o respeito. "Há três anos começamos um trabalho para levantar a moral de nossos funcionários. Sempre tratando todos da melhor forma possível para nos enquadrarmos no patamar das melhores empresas do Brasil. Com o objetivo conquistado, hoje, a cada dia, novas práticas de recursos humanos são colocados em prática para motivar nossos funcionários. É algo que não pode parar nunca", enaltece Kiko.

A identificação com a empresa também é fator importante. Como destaca Vitor Gama (foto ao lado), do departamento de gestão de pessoas de uma empresa júnior da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) de consultoria, a pessoa tem que se adaptar a cultura de onde vai trabalhar. "É preciso ter o perfil da instituição, gostando do que faz, ter empatia com o chefe para que isso gere motivação e renda um bom trabalho", destaca.

O funcionário deve buscar motivação

Não basta a empresa oferecer todos esses fatores motivacionais se o funcionário não der uma resposta positiva. Segundo Vitor, o ideal é o trabalhador traçar metas e se movimentar, ter iniciativa correndo atrás de seus objetivos. "Ele deve sempre tentar se aprimorar e buscar cursos de aperfeiçoamento", avalia.

A psicóloga Alexandra A psicóloga Alexandra Nóbrega (foto ao lado), concorda e acredita que o caminho para que isso aconteça é a pessoa fazer o que gosta. "Não adianta trabalhar apenas por dinheiro, deve ter amor na profissão para que você encontre a motivação. Você tem que fazer bem seu serviço, dá o melhor de si, ter prazer no que faz", explica.

Para ela, as empresas devem oferecer mais benefício e buscar trabalhadores que se encaixem no perfil da instituição. "Tem que haver um trabalho desse por que um funcionário motivado é essencial para o desempenho de qualquer grande firma", destaca a psicóloga.

Para Vitor falta profissionalismo da maioria das empresas. Segundo o membro da empresa júnior, muitas delas deveriam estar mais preparadas. "Na maioria das vezes, o que atrapalha na motivação são as relações interpessoais em uma empresa. É difícil um chefe reconhecer o trabalho de seu funcionário. As empresas têm que trabalhar suas lideranças. Hoje é fundamental que o chefe reconheça e seja educado com todos seus funcionários", analisa.

O exemplo da motivação no esporte

Uma equipe de esporte coletivo profissional, um atleta de alto rendimento não consegue seus melhores resultados e destaque no cenário nacional sem motivação. O mesmo acontece com as empresas. "Assim como no lado esportivo, o Recursos Humanos tem que descobrir qual é a forma de motivar a pessoa. Tentar detectar a motivação de cada funcionário. Estratégias e situações que motivem devem ser criadas", destaca o mestre em motivação esportiva, Israel Toledo da Costa.

Assim como nas grandes empresas um líder é indispensável. Israel destaca que essa figura é que dá ao funcionário ou atleta o reconhecimento direto do qual ele precisa. "Essa pessoa deve observar o desempenho e dar valor as coisas boas e saber criticar. Tem que haver uma cobrança, mas ela deve ser cuidadosa para não colocar a pessoa estressada ou sob pressão", destaca Israel.

A dica é realmente apostar no perfil de cada funcionário sempre trabalhando aspectos motivacionais que condizem com sua personalidade. Israel destaca que todo esse trabalho é essencial para o bom rendimento da equipe. "A empresa tem que trabalhar o interesse pessoal, a promoção, método de conquistas, desafios dependendo do ramo em que atua. Por outro lado, deve valorizar esse profissional com bons salários, gratificações e promovendo o reconhecimento daqueles que se destacarem", completa.

*Thiago Werneck é estudante de Jornalismo da UFJF

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.