Elizabeth Soares Elizabeth Soares 11/07/07

Resiliência: que competência é esta e por que é tão importante para o sucesso profissional

Foto de um homem estressado em frente ao computador Cada vez mais os profissionais sentem-se pressionados por resultados de curto prazo, isto é, os projetados para menos de um ano. Esta busca por resultados rápidos está, sem dúvida, gerando um nível elevado de estresse frente às exigências por uma alta performance.

Contudo, se o seu desejo é crescer e atingir sucesso profissional, é bem provável que situações geradoras de estresse e adversidades das mais variadas façam parte do seu dia-a-dia à medida que você assuma novos riscos e mais responsabilidades.

De acordo com o consultor Eduardo Coelho, autor do livro "Supere: A Arte de Lidar com as Adversidades", 80% das pessoas têm suas competências ocultadas ou diminuídas quando passam por situações adversas. Com base nisto, compreendemos a importância de sabermos lidar de forma inteligente com as pressões a fim de que o nosso desempenho não caia em função da inibição ou do travamento de nossas potencialidades.

Esta capacidade de resistir e ser flexível diante das pressões é, atualmente, uma das competências mais valorizadas no ambiente corporativo e recebeu o nome de resiliência, um termo utilizado pela física definido como a capacidade dos materiais de resistirem aos choques e voltarem ao seu estado normal.

Até os anos 90, os estudiosos defendiam que a habilidade para administrar conflitos seria inata como um dom. Porém, novas pesquisas foram realizadas após aquela época e, começou-se a comprovar que, a capacidade de recuperação e crescimento após sucessivos problemas pode, sim, ser desenvolvida pelo ser humano.

Esta conclusão foi uma boa notícia, entretanto, parece não ter influenciado a vida prática da maioria das pessoas. De acordo com uma pesquisa realizada no Brasil pela International Stress Management Association (Isma-Brasil), 83% das pessoas não podem ser consideradas resilientes.

Boa parte apresenta sintomas físicos como dores de cabeça e musculares, azia e alergias e, outro tanto, apresenta agressividade, passividade ou algum tipo de dependência química. Sendo assim, fica claro compreender os motivos que levam profissionais resilientes a serem tão cobiçados no mercado de trabalho para ocuparem cargos estratégicos.

Pessoas comuns podem se tornar resilientes e você, também, pode ser uma delas. É necessário querer e treinar novos comportamentos. Afinal, os tempos atuais pedem que você assuma o controle pelo seu próprio desenvolvimento.

Conheça cinco caraterísticas dos resilientes
  • Acreditam em si e naquilo que são capazes de fazer;
  • Analisam o contexto e levam em conta todos os lados do problema;
  • Mantêm a calma e o foco diante de situações adversas;
  • Gerenciam suas emoções de acordo com seus objetivos;
  • Elegem um projeto e, quando ele está realizado, escolhem outro e assim por diante.
Experimente cinco dicas para ser resiliente:
  • Assuma o controle da situação. Pergunte-se em que área do problema você pode fazer alguma diferença;
  • Ao invés de culpar o outro, pergunte-se o quanto você está contribuindo para manter a situação ruim;
  • Controle o impacto do problema sobre você. Indague a si mesmo se deixará que a situação afete todo o seu dia, seu fim de semana e todas as áreas de sua vida;
  • Busque alternativas para limitar a duração das situações difíceis;
  • Proponha-se constantemente a experimentar atitudes que controlem, melhorem ou resolvam a situação crítica que você esteja vivendo.

Elizabeth Soares
é psicóloga com foco em desenvolvimento de pessoas
Saiba mais clicando aqui.

Sobre quais temas (da área de Carreira) você quer ler nesta seção? A psicóloga Elizabeth Soares aguarda suas sugestões no e-mail educacao_carreira@acessa.com

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.