• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação
    Elizabeth Soares Elizabeth Soares  25/10/2011

    Diante das "feras": Como anda seu nível de estresse?

    Como anda seu nível de estress?Desde a época das cavernas, o homem entrava em estado de alerta para enfrentar as feras e garantir sua sobrevivência. Diante delas, havia dois caminhos: atacar ou fugir.

    O estresse é o mecanismo que põe em alerta as funções do nosso corpo e nos prepara a para a ação. Na medida certa, ele nos mobiliza para lutar por nossos sonhos e metas. É o que chamamos no mercado de trabalho de "prontidão". Portanto, um pouco de estresse ajuda, mas em excesso, pode se tornar um desastre para o ser humano.

    Quando a exposição aos chamados "estímulos externos estressores" se torna prolongada e intensa, deixam de existir os períodos de relaxamento e repouso necessários para que a pessoa recupere suas defesas naturais e continue fortalecida para enfrentar as "feras de cada dia".

    O estresse aparece em dois estágios:

    1º estágio: Alerta
    Ao perceber um perigo real ou imaginário, o organismo se prepara para o confronto. Ocorrem descargas de hormônios no sangue. O mais conhecido é a adrenalina;

    2º estágio: Crônico
    Se o estresse é permanente, o sistema imunológico entra em colapso. Abrem-se as portas para doenças de pele, cardíacas, estômago, dentre outras.

    Muitas vezes o estresse é difícil de ser percebido e pode gerar constrangimento no profissional que enfrenta a situação. Como explicar aos colegas e ao chefe que se está enfrentando um estresse crônico? Afinal, o mercado de trabalho quer o "profissional forte e capaz".

    As respostas do organismo em situação de estresse ocorrem nestas quatro esferas:

    • Física: dores de cabeça, infecções frequentes, fadiga, irritações na pele, dificuldades respiratórias, contrações musculares, dentre outros.
    • Mentais: pensamentos confusos, pesadelos, indecisão e negatividade.
    • Emocionais: perda da autoconfiança, apreensão, irritabilidade, apatia e depressão.
    • Comportamento: predisposição a acidentes, perda de apetite, abuso da bebida e do cigarro, insônia, inquietação e distúrbios sexuais.

    O primeiro passo é identificar que fator externo que está gerando o quadro de estresse. Pergunte-se: é algo temporário? Até quando me sinto capaz de enfrentar esta situação? Há algo que eu possa fazer? Alguém a quem pedir apoio?

    Lembre-se de que o mundo não para quando você adoece. As pessoas a sua volta têm responsabilidades e continuarão cumprindo seus compromissos diários. Cabe a você encontrar o equilíbrio não se exigindo de forma contínua aquilo que vai além de suas forças e de sua saúde. O seu limite quem conhece é você!



    Elizabeth Soares
    Psicóloga e Coach-Executiva 

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.