Elizabeth Soares Elizabeth Soares 19/1/2012

O valor inteligente: o que faz do gestor um líder?

Gestor/ LíderAdministrar pessoas e fazer com que, juntas, elas trabalhem com maior produtividade e qualidade não é tarefa das mais simples. O gestor tradicional, concebido na ótica taylorista, ainda é encontrado até os dias atuais: ele determina as tarefas e seus respectivos prazos. Entretanto, as empresas modernas, para se destacarem no mercado não podem só entregar o básico, elas precisam inovar e encantar. Como conseguir inovação senão através das pessoas?

É aí que entra a importância de um gestor capaz de mobilizar sua equipe em torno do negócio da empresa. A partir do momento em que esse gestor entende que as pessoas não chegam prontas para atuarem e interagirem umas com as outras na busca de soluções, ele assume o papel de "gestor educador" que orienta e acompanha a evolução de sua equipe de trabalho. Agindo assim, além de definir o conjunto de tarefas (postura estrategista), ele participa das conquistas e das dificuldades individuais dos integrantes da equipe de trabalho (postura potencializadora).

Segundo o especialista britânico em liderança chamado Derek Abell, o que faz do gestor um líder é o seu posicionamento e a habilidade para modificar e não somente o executar. Contudo, embora os gestores reconheçam a necessidade de dedicarem mais tempo às suas equipes, alegam que o grande volume de tarefas emperra a atitude de apoio.

Sem o desenvolvimento, os problemas se tornam crônicos: chefes sobrecarregados, rotatividade, profissionais inexperientes, produtividade abaixo do esperado e qualidade duvidável. Gente capacitada não vem pronta para uma empresa. O gestor que conseguir enxergar sob uma nova ótica os problemas de sempre pode agir de maneira "modificadora".

Se você deseja atuar como um líder, comece valorizando a soma de pequenos gestos e pequenas vitórias de sua equipe. Não importa o quanto você esteja sendo pressionado por resultados, lembre-se de que sua equipe precisa ser conduzida em um clima de negociação e parceria.

Sentimentos humanos, positivos ou negativos, fazem "parte do jogo". Ao invés de abafá-los, demonstre que você os reconhece e quer contribuir com o "sucesso psicológico" das pessoas. Esta postura aumenta as chances do negócio da empresa acontecer de um modo mais sustentável.

Quem desenvolve pessoas também precisa ter projetos para se manter desenvolvendo. Esteja atento para não se sobrecarregar a tal ponto de não conseguir se cuidar e cuidar da sua equipe. Agregar valor inteligente às empresas pode ser o se grande diferencial. Observe-se no dia a dia: o quanto você tem se empenhado para orientar pessoas e modificar o negócio da empresa?



Elizabeth Soares
Psicóloga e Coach-Executiva 

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.