• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação

    Dever de casa pode ser tarefa prazerosa para crianças É importante que os pais acompanhem os filhos no dever de casa, porém é necessário dosar para que a criança não fique acomodada

    Priscila Magalhães
    Repórter
    22/07/2008

    A aluna da 4ª série Fernanda Rezende Santos tem prazer em fazer o dever de casa diariamente, principalmente quando tem matéria nova. "É bom que eu aprendo mais", explica a menina de 11 anos.

    Apesar de Vânia Aparecida Rezende Garcia estar do lado de Fernanda na maior parte das vezes, a menina prefere fazer o dever sozinha. Porém, considera a ajuda da mãe importante, pois é ela quem corrige os exercícios. "Quando não estou perto e surge alguma dúvida, ela me chama e tentamos resolver", diz Vânia.

    Antes de levar a dúvida para a sala de aula, as duas pesquisam em livros e Fernanda continua tentando. Só depois disso é que a menina recorre à professora. "E quando aprendo, chego em casa e ensino para a minha mãe", completa.

    Apesar de acompanhar bem de perto, Vânia nunca fez o dever para a filha. Para ela, a tarefa é uma responsabilidade do estudante. "Ela tem a responsabilidade de estar por dentro do que a professora ensina em sala".

    Foto de
Sandra Neves E é exatamente o conteúdo ensinado na escola que deve fazer parte da tarefa de casa. "Esse é um momento de fixação. Então, nada que o aluno não tiver visto deve ser feito em casa", diz a educadora Sandra de Almeida Neves. Vânia partilha da opinião de Sandra. "A criança vai fixando e tem menos dificuldade na hora da prova".

    Fazer um tipo de exercício que já foi dado em sala também é uma forma de o aluno ter prazer naquele momento, sem provocar discussões em casa. A educadora explica que quando a escola transfere a responsabilidade do ensino para os pais, eles e a criança podem ficar irritados "Nem sempre, eles sabem a matéria. E, quando sabem, podem passar de forma diferente à que deveria ser passada na escola".

    Acompanhar a tarefa dos filhos também é uma forma de os pais saberem o que a escola está ensinando. Além disso, estar perto na hora do dever proporciona segurança às crianças. Sandra diz que eles devem acompanhar a tarefa, mas não é correto que fiquem sentados do lado o tempo todo e, muito menos, que chamem a criança para fazer os exercícios. "O pai ou a mãe não são os personagens centrais, então a iniciativa é do aluno", explica.

    Foto de
livro de matemática A mãe pode acompanhar olhando se a tarefa está toda certa e perguntar quais foram as dificuldades. Em caso de detectar erros, o ideal não é apontá-los, mas alertar para o fato de algo não estar correto, o que estimula o aprendizado. "A criança deve procurar onde errou", enfatiza Sandra.

    Mas, se os pais não conseguirem encontrar o erro, é ideal que a questão fique em branco. Não é aconselhável que a mãe busque ajuda com vizinhos ou outros parentes. É o que Vânia faz. "Colocamos um ponto de interrogação na questão".

    Os pais que fazem a tarefa para os filhos, acabam criando uma criança fraca, sem condições de enfrentar os obstáculos da vida. "Quando o filho vai para casa e a mãe tira as dificuldades, ele vai achar que sempre terá alguém para solucionar seus problemas", diz Sandra.

    Para os pais menos presentes no momento do dever de casa, não há necessidade de se sentirem mal por isso, pois a ausência provoca efeitos positivos na vida do estudante. "Eles ficam mais independentes em termos de dever de casa quando os pais são muito ocupados". Neste caso, ser independente significa criar o hábito de conhecer as coisas e ir buscar o que está faltando. "Essa busca acontece na escola", completa a educadora.

    Foto de
material escolar O ideal é saber dosar, sem fazer o dever para a criança e, ao mesmo tempo, acompanhar. O problema é que os pais confundem o acompanhamento ao aluno. "Não é necessário sentar do lado. Pode ser através de um olhar ou uma palavra". Uma boa saída é usar o telefone e ligar, do trabalho, para o filho. "Pergunte se ele já fez, se teve dificuldade. É uma maneira de apoiar", sugere Sandra.

    Dessa forma, o fracasso ou o bom rendimento do aluno não depende do acompanhamento diário das tarefas de casa pelos pais. "Eles não têm que carregar o peso do trabalho como um fator negativo para o rendimento do filho na escola".

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.