Segunda-feira, 10 de dezembro de 2007, atualizada às 18h20

Audiência na Câmara discute decreto da Prefeitura que altera as regras para atestados médicos


Priscila Magalhães
Repórter

Uma audiência na Câmara Municipal discutiu na tarde desta segunda-feira, 10 de dezembro, o decreto que altera as normas para atestados médicos. Pelo decreto, os funcionários públicos só podem apresentar atestados assinados por médicos credenciados ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Segundo o coordenador do Sindicato dos Professores de Juiz de Fora (Sinpro JF), Roberto Cupolilo, ficou o pedido para que o decreto seja rediscutido. "Queremos a revogação deste decreto e marcamos para a primeira quinzena de março uma reunião para discutirmos esta questão", explica.

Até que a reunião aconteça em março, o pedido do Sindicato é de que, pelo menos, a questão dos atestados médicos seja revista. "Queremos que todos os atestados possam ser utilizados, o que inclui os expedidos por médicos do atendimento público e privado", completa.

Cupolilo diz que os professores vão entrar em recesso a partir da próxima semana e vão pedir o adiantamento desta reunião para fevereiro. Além da utilização de qualquer tipo de atestado, os professores também querem que ele possa ser entregue em três dias, na própria chefia, e que os motivos das doenças sejam identificados. "Temos que tentar identificar a causa do adoecimento dos professores", finaliza Cupolilo.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.