Quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008 atualizada às 16h30

Apesar do anúncio de irregularidade, a venda de borracha da Faber Castell continua normal em Juiz de Fora



Daniele Gruppi
Repórter

Apesar da constatação de substância tóxica na borracha modelo TK Plast da Faber Castell, as papelarias de Juiz de Fora afirmam que não houve redução nas vendas.

Segundo o proprietário de uma papelaria, Leandro Braga, a Faber Castell enviou um comunicado tranqüilizando os vendedores de que a fábrica sempre esteve em conformidade com a legislação. "O modelo é um dos mais vendidos. Tem tradição e é considerado bom por não esfarelar", afirma.

Adilson Dias, também dono de uma casa de material escolar, conta que ficou sabendo do problema pelos clientes. "Não observei alteração nas vendas desde a divulgação do problema. Os clientes gostam realmente do objeto", declara.

O teste que constatou quantidade irregular de ftalato foi realizado pela Fundação Pró-Teste, uma associação de defesa do consumidor. A substância é considerada altamente tóxica e a contaminação por ela pode ocorrer pela pele ou no contato do plástico da borracha pela boca.

A Faber Castell posicionou-se diante do fato e afirma ter retirado esse componente da fórmula da borracha TK Plast, a partir do dia 13 de setembro de 2007.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.