Quarta-feira, 05 de março de 2008, atualizada às 16h38

Professores da rede particular estão em negociação com patrões por reajuste salarial



Priscila Magalhães
Repórter

O Sindicato dos Professores de Juiz de Fora (Sinpro) está em negociação com o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Particular (Sinep) para definir o reajuste salarial deste ano. Segundo o coordenador do Sinpro, Roberto Cupollillo, a reivindicação é pela recomposição inflacionária de 5,36%, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), adicionada ao ganho real de 5%.

"O sindicato patronal ainda não aceitou a proposta dos professores e propôs o ganho real de 4% ou o INPC dividido em duas parcelas, sendo 3,36% em fevereiro e 2% em julho, sem retroatividade", explica Roberto. O coordenador ainda diz que os professores vão manter os valores e o Sinep é que deve apresentar outra proposta que satisfaça.

O presidente do Sinep Sudeste, Miguel Luiz Detsi Neto, confirma a proposta dos patrões e diz que seria muito bom atender às reivindicações dos professores desde que a categoria econômica conseguisse arcar. "Não dá para falar em número real se as escolas estão com a receita negativa. Há cada vez menos alunos e a inadimplência só aumenta".

Segundo Miguel, as negociações começaram em dezembro, quando as matrículas dos alunos estavam acontecendo. "Quando elas se encerraram, viu-se que não é possível pagar o que os professores estão querendo", explica.

Para discutir o assunto e levantar outras possibilidades, os professores da rede particular vão se reunir nesta sexta e sábado, dias 07 e 08 de março, em assembléia. A reunião vai acontecer no Sindicato dos Bancários, às 17h30, na sexta, e às 10h30, no sábado.

O último reajuste da classes aconteceu em 2007, quando eles receberam a reposição da inflação, que foi de 3%, de acordo com o INPC.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.