• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação

    Quinta-feira, 28 de agosto de 2008 atualizada dia 10 de setembro, às 15h56

    Professores da rede estadual decidem manter greve que já dura quase duas semanas



    Daniele Gruppi
    Repórter

    A greve dos professores da rede estadual de ensino que teve início na quinta-feira, dia 28 de agosto, vai continuar por tempo inderterminado. A reunião realizada na Assembléia Legislativa de Minas Gerais, na última terça-feira, dia 09 de setembro, decidiu pela continuação do movimento.

    Segundo o diretor de comunicação do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SindUte), Antônio Braz Rodrigues, cerca de 55% das escolas em Minas Gerais aderiram ao movimento.

    A principal reivindicação da categoria é em relação à implantação imediata do piso salarial no estado de R$ 950 para professores do ensino básico de todo país.

    O valor foi estabelecido na Lei 11.738/08, sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O piso atual para o nível é R$ 336. Rodrigues afirma ainda que o governo de Minas estaria tentando mover uma ação de inconstitucionalidade para a medida.

    Os profissionais reivindicam também a revisão do plano de carreira - que é de 2003 -, melhoras na assistência médica e condições de trabalho. "Quanto mais distante do centro, mais precária é a escola". Em Juiz de Fora, segundo a Superintendência Regional de Ensino, há 61.576 alunos na rede estadual.

    Uma nova reunião com a Secretaria de Educação está marcada para a próxima sexta-feira, dia 12 de setembro. Na terça-feira, dia 16, a categoria irá realizar uma nova assembléia para decidir os rumos da greve. Segundo a assessoria do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação do Estado de Minas Gerais (Sind-UTE), cerca de um milhão de alunos estão sem aula em todo o Estado.

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.