• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação

    Primeiro dia do PISM da UFJF registra 778 ausências O número de alunos faltosos representa 11,95% de um total de 12.418 inscritos nos módulos I e II do concurso

    Aline Furtado*
    Repórter
    16/12/2009

    As provas dos módulos I e II do Programa de Ingresso Seletivo Misto (PISM) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) começaram nesta quarta-feira, 16 de dezembro. De acordo com informações da assessoria de comunicação da instituição, dos 7.325 alunos inscritos no módulo I, 555 faltaram, o que representa 7,57%. Já com relação ao módulo II, dos 5.093 estudantes inscritos, 223 não comparecem ao primeiro dia do exame, contabilizando 4,38%.

    A assessoria informou que o primeiro dia foi marcado pela tranquilidade. Não foram registrados incidentes, como o porte de aparelhos não autorizados durante a realização das provas. Os atendimentos médicos foram dentro do esperado, como casos de queda de pressão arterial e tontura, provocados pela tensão dos candidatos. Não foi necessário efetuar a transferência dos estudantes que se sentiram mal.

    As provas estão sendo aplicadas entre 14h e 18h no Campus da UFJF, no Instituto Federal-Campus Juiz de Fora, no Colégio de Aplicação João XXIII e em outras sete escolas da cidade. Nesta quinta-feira, os alunos fazem provas discursivas de língua portuguesa, matemática, química e geografia, sendo duas questões em cada conteúdo. As avaliações prosseguem até a próxima sexta-feira, dia 18.

    A Comissão Permanente de Seleção (Copese) ressalta que deve haver atenção com relação ao movimento intenso no trânsito, verificado no primeiro dia de prova, principalmente no Campus da UFJF e no Instituto Federal-Campus Juiz de Fora. Além disso, a orientação aos estudantes que têm a intenção de apresentar recurso contra o gabarito do primeiro dia de prova é em relação ao prazo para protocolar o documento na Central de Atendimento, que é até a próxima quinta-feira, dia 17. Não foram registrados erros nas provas aplicadas, assim como não foram anuladas questões.

    Alunos desinformados

    No Campus da UFJF, foram montados dois balcões de informações e, segundo a bolsista responsável pelo ponto de atendimento em frente à Faculdade de Direito e aluna do curso de Comunicação Social, Flávia Guerra, apenas na manhã do primeiro dia de provas foram atendidas, em média, 200 pessoas. "Os estudantes apresentavam dúvidas básicas e muitos pais procuraram o balcão para saber sobre os horários de ônibus." A bolsista comentou ainda que alguns alunos tiveram dificuldades em localizar locais de prova no Campus. "Alguns procuravam pela Faculdade de Engenharia, que fica do lado oposto ao local onde está montado o balcão."

    Foram registrados também casos de alunos que não levaram o comprovante de inscrições, documento necessário para a realização das provas. "Um aluno estava chorando porque estava com o comprovante de pagamento e não com o de inscrição. Além disso, uma estudante chegou ao balcão de informações reclamando que foi a três locais para imprimir o comprovante e não conseguiu."

    Familiares esperam estudantes nos locais de provas

    Espera dos familiaresAlém dos estudantes, pais e outros familiares foram aos locais de provas. No campus, era possível ver pessoas aguardando o término das provas nas calçadas. A estudante de Nutrição, Tamires Lana Rufino, reclamou da falta de estrutura oferecida às pessoas que estavam aguardando. "Vim de Viçosa e estou aguardando a minha irmã. É cansativo ficar aqui sentada no meio-fio da calçada, chega a doer. Eles podiam oferecer algum lugar para espera."

    Aparecida Maria de Campos, que veio de Muriaé, aponta como problema mais grave a falta de banheiro. "Não tem banheiro. Pedi ao segurança para entrar em uma unidade para usar o banheiro, mas ele não deixou. Fui à Reitoria, mas estava trancado. O banheiro público também não estava funcionando." A juizforana Valéria Horta destacou que acompanhará a filha nos três dias de provas. "É a segunda vez que passo por esta situação. Com minha filha mais velha foi a mesma coisa. Eles poderiam, ao menos, colocar umas mesas e cadeiras na calçada. Não iria atrapalhar as provas", sugere.

    * Colaborou: Pablo Cordeiro
    Os textos são revisados por Madalena Fernandes

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.