• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação
    Quinta-feira, 23 de março de 2017, atualizada às 17h09

    Greve dos professores municipais e estaduais completa uma semana

    Da redação
    foto

    Os professores da rede municipal saíram em passeata nesta quinta-feira, 23 de março, até a Câmara dos Vereadores, após assembleia geral no Ritz Hotel. A greve dos docentes municipais e estaduais completou uma semana nesta quarta, 22. O movimento atende à convocação para greve nacional feita pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). Ambos lutam contra a aprovação da reforma da Previdência, proposta pelo Governo do presidente Michel Temer. Enquanto o Sindicato dos Professores Municipais (Sinpro-JF) contabiliza adesão de 70%, na rede estadual o sindicato estima 80%.

    Segundo uma das diretoras do Sinpro-JF, Pâmela Souza Lavinas, os docentes votaram de forma unânime pela continuidade da paralisação, por tempo indeterminado, tendo como uma das pautas a reforma da Previdência. Nesta semana o presidente Temer retirou da proposta enviada ao Congresso os servidores públicos estaduais e municipais. Para o sindicato, esta é mais uma das manobras do atual governo para desmobilizar os movimentos em todo país. “Ontem observamos a aprovação do projeto de lei que libera a terceirização das atividades pelas empresas. Esta é uma manobra para acabar com os direitos trabalhistas. Vamos lutar por sua revogação. Querem aplicar novo golpe com essas mudanças para a PEC 287 (Previdência)”, destaca.

    Já outra pauta de âmbito municipal que deve movimentar a Câmara Municipal nos próximos dias é aprovação do Plano Municipal de Educação. Segundo a diretora do Sinpro, o projeto elaborado no Fórum Municipal de Educação, em 2015, foi enviado em novembro do ano passado para a Casa Legislativa com várias alterações feitas pelo Executivo. “Na segunda, 20, o vereador Betão entrou com 30 emendas ao texto, para retomar a proposta original. Elas serão discutidas pelos vereadores nesta sexta e possivelmente votado na segunda, 27”, diz Pâmela. O sindicato afirma que foram retiradas do Plano metas de valorização dos educadores e quadro de carreira.

    Conforme a presidente do Sind UTE, Victória Mello, a rede estadual também possui reivindicações pontuais. Ela afirma que o governo Fernando Pimentel (PT) está descumprindo o acordo firmado no ano passado. “Estamos com atrasos nos salários, parcelamentos e descumprimento da lei do piso, além de pedirmos melhorias na instituição de saúde e recomposição do plano de carreira”.

    Os professores das redes municipal e estadual vão se reunir em assembleias na próxima terça-feira, 28, às 14h, no Ritz Hotel e no Conservatório de Música, respectivamente. Depois sairão em passeata pelas ruas do Centro de Juiz de Fora.

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.