• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação
    Quarta-feira, 28 de agosto de 2019, atualizada às 8h20

    Justiça do Trabalho suspende demissão em massa dos professores da Universo

    Da redação

    O Sindicato dos Professores de Juiz de Fora (Sinpro-JF) conquistou, nesta terça-feira, 27 de agosto, na Justiça do Trabalho, liminar que suspende a demissão em massa dos professores realizada pela Universidade Salgado de Oliveira (Universo) em 15 de julho.

    A medida determina a reintegração dos 70 profissionais demitidos em Juiz de Fora. Segunda a nota, "na sentença, o juiz Tarcísio Correa de Brito afirmou, em acordo com o entendimento do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que a dispensa  coletiva unilateral contraria princípios e regras constitucionais e normas internacionais. Ainda assim sua validade dependeria da participação da entidade sindical representativa dos trabalhadores.  “Diante de tantos interesses em conflito, prestigio a saída encontrada pelo TST: dispensa em massa sem intervenção sindical é inconstitucional e inconvencional. O TST levou anos para firmar esse entendimento. Foram anos de discussões e amadurecimento de ideias. Cabe agora prestigiar todo esse trabalho de sedimentação jurisprudencial, que, repito, permanece imaculado mesmo depois da edição do recentíssimo artigo 477-A da CLT”, concluiu Britto".

    Além disso, a Justiça ainda determinou multa caso a liminar seja descumprida: “(…) acolho, em sede liminar, o pedido de reintegração dos respectivos professores dispensados, com o cancelamento dos atos rescisórios, inclusive, da baixa do contrato no CAGED, obrigação que deve ser cumprida no prazo de 10 dias úteis (prazo que fixo na forma do artigo 852, parágrafo primeiro da CLT), sob pena de multa diária no valor de R$ 10 mil por substituído prejudicada, limitada a R$ 500 mil, valor que pode ser posteriormente revisto, caso necessário.”

    Para o Sinpro-JF, a sentença é uma vitória significativa numa conjuntura marcada pela ofensiva contra os direitos dos trabalhadores. “A demissão afetou professores e suas famílias. E é um reflexo do aprofundamento da reforma trabalhista. É ainda mais cruel que tenha sido feita no meio do ano letivo, criando todo o tipo de dificuldade para que esses profissionais sejam reinseridos no mercado de trabalho e, certamente, prejudicando o semestre de centenas de alunos matriculados na instituição”, afirmou Aparecida Oliveira, coordenadora geral do Sinpro-JF.

    O Portal ACESSA.com entrou em contato com a instituição e aguarda retorno.

    Com informações da assessoria

    A Melhor Internet Está Aqui

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.