• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação
    Terça-feira, 21 de janeiro de 2020, atualizada às 10h16

    MPF recebe pedido de alunos de Viçosa para a suspensão do prazo de inscrição no Sisu

    Da redação

    Estudantes que fizeram o Exame do Ensino Médio (Enem) em Viçosa, acompanhados de pais e de um advogado, entraram, nesta segunda-feira, 20 de janeiro, com o pedido para que o Ministério Público Federal (MPF) atue na suspensão do prazo de inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) até a resolução dos problemas das correções da prova. De acordo com os alunos, as notas estão muito abaixo do normal nas provas do segundo dia (Ciências da Natureza e Matemática).

    O aluno Marcos Valverde, de 18 anos, que tentou uma vaga em medicina, acompanhou o grupo até o MPF.  “É frustrante você pagar cursinho, fazer um investimento nos estudos e ter que passar por essa situação por erro dos outros”, declarou o aluno que acredita que era para ter uma pontuação próxima a 800.

    A candidata Luiza Fontes, 19 anos, quando conferiu sua nota, chegou a ligar para o INEP, mas a resposta não foi suficiente. “Quem me atendeu começou a ler o edital do programa, dando explicações sobre o TRI. Eu disse para ela que o edital eu já tinha lido, eu queria agora uma solução para este erro.”

    Ao chegarem até o Ministério Público Federal de Juiz de Fora, o grupo foi atendido pela procuradora Zani Cajueiro que se comprometeu a encaminhar com urgência para Belo Horizonte, uma vez que é uma questão de impacto nacional.

    A deputada federal Margarida Salomão, como coordenadora da Frente Parlamentar pela Valorização das Universidades Federais, está acompanhando de perto as ações do governo federal para apurar as falhas do Enem e tomando todas as medidas possíveis para que os candidatos não sejam prejudicados.

    O mandato esteve junto com os candidatos e pais de alunos de Viçosa, no Ministério Público Federal em Juiz de Fora. A Frente Parlamentar pela Valorização das Universidades Federais, publicou a seguinte nota sobre o assunto: "ao contrário do que vem sendo alardeado pelo ministro da Educação, sabe-se agora que a edição de 2019 do Exame Nacional do Ensino Médio foi marcada por falhas importantes, que geram apreensão a milhares de candidatos. As “inconsistências”, que, segundo o governo, haviam sido registradas apenas no segundo dia das provas, também ocorreram no primeiro dia do exame, conforme relatos de estudantes. A um dia da abertura das inscrições para o Sisu, enquanto o governo não oferece respostas, candidatos temem ser prejudicados pelas falhas. Outros problemas já haviam sido registrados nesta edição. Por exemplo, uma foto com a proposta de redação vazou minutos após o início da prova. Erros acontecem, mas a ocorrência deles pode ser minimizada com gestão e responsabilidade. As mudanças no comando do Inep, órgão o responsável pela elaboração e aplicação do Enem (foram três trocas de presidentes em menos de um ano), vai na contramão do cuidado que deve pautar a realização de Exame tão complexo. Cabe ressaltar também que a excessiva preocupação com suposta “ideologia” nas provas, que permeou o debate sobre o tema, não contribuiu para o principal: o aprimoramento dos procedimentos e processos para impedir erros. O importante, agora, é que o governo esclareça o que aconteceu e os motivos que levaram a essa falha, identificar sua abrangência, e indicar claramente de que forma será feita a correção das notas, de modo que não haja prejuízo aos candidatos afetados, o mais rápido possível".

    Problema resolvido

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela realização do Enem, informou nesta segunda-feira, 20, que os erros de correção da prova foram revistos. Segundo o Inep, as notas revisadas estão disponíveis na página do candidato.

    O anúncio foi feito pelo presidente do Inep, Alexandre Lopes, no início da noite, em entrevista coletiva, para divulgar os resultados do trabalho realizado pela força-tarefa criada para resolver o problema. De acordo com Lopes, 5.974 participantes tiveram notas com inconsistências – o número representa 0,15% do total de participantes (3,9 milhões).

    Lopes disse que, durante o trabalho da força-tarefa, todas as notas dos alunos que fizeram as provas foram analisadas para resolver os problemas encontrados e buscar novas inconsistências que poderiam aparecer. "Nós analisamos todos os alunos. A gente fez esses tipos de correlações para orientar a busca, para ver se a gente encontrava outras inconsistências", explicou.

    O presidente do Inep informou que a gráfica responsável pela prova deverá prestar esclarecimentos sobre as falhas ocorridas. "O erro estava na associação. Que tipo de erros que aconteceram na gráfica, que geraram essa diferença de associação, eu não sei dizer", afirmou Lopes.

    Prazo estendido

    O ministro da Educação, Abraham Weintraub anunciou que o prazo para inscrições do Sisu foi ampliado em dois dias. As inscrições começam nesta terça-feira e terminam domingo, 26. Antes da prorrogação, o prazo se encerraria na sexta-feira, 24. O Sisu oferece vagas em universidades federais com base nas notas obtidas no Enem.

    Com informações da Agência Brasil e assessoria da deputada

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.