Ato simbólico cobra retorno das aulas presenciais em Juiz de Fora

A Prefeitura entregou uma contestação à Justiça no processo que envolve a discussão de volta às aulas no município

da Redação - 02/08/2021

Um ato simbólico, realizado pelo Movimento Escolas Abertas nesta segunda-feira, 2 de agosto, cobrou o retorno das aulas presenciais, em formato híbrido e mediante protocolos, nas instituições de ensino públicas e privadas de Juiz de Fora.

Durante o início da tarde, os pais e estudantes se reuniram em frente aos colégios Jesuítas, Academia, Stella Matutina e Santa Catarina. Pelas redes sociais, o movimento defendeu que "não existe volta as aulas de verdade sem aquela correria para arrumar as crianças, sem o frio na barriga de reencontrar os amigos. Isso foi arrancado de nossas vidas quando a ciência recomenda que as escolas deveriam estar abertas".

Na última quinta-feira, 29 de julho, a Prefeitura de Juiz de Fora entregou uma contestação à Justiça no processo que envolve a discussão de volta às aulas no município. O documento informa "que o retorno poderá ser feito na faixa amarela, etapa em vigor, porém desde que seguidos outros indicadores, como por exemplo, a imunização completa dos trabalhadores da educação".

Em Minas

Com o fim do recesso escolar, as escolas da rede estadual de ensino iniciam, nesta terça-feira (3/8), o segundo semestre letivo. A retomada é marcada pela ampliação das atividades escolares híbridas para um maior número de estudantes, alcançando todas as regiões do estado. Todas as unidades de ensino que retomam as atividades presenciais estão localizadas em municípios em que as prefeituras não apresentaram nenhuma restrição.

De acordo com a subsecretária de desenvolvimento da Educação Básica da SEE/MG, Izabella Martins, o momento demonstra como a retomada presencial tem sido feita observando todos os protocolos, garantindo a segurança. “Este é um momento importante para a nossa rede, pois, graças aos cuidados e a preparação das escolas, estamos conseguindo acolher a comunidade escolar. Mais que isso: está sendo possível avançar e incluir mais anos escolares na possibilidade da retoma das atividades presenciais”, afirmou.

Com o início do 3º bimestre mais escolas estão autorizadas a ter atividades presenciais e mais anos de escolaridade também estão autorizados a iniciar o acolhimento de professores e, na sequência, dos alunos. Nas unidades de ensino localizadas nos municípios inseridos nas ondas amarela ou verde, além das turmas dos anos iniciais - 1º ao 5º ano -, e 9 do ensino fundamental e do 3º ano do ensino médio, que já haviam sido autorizados a retornar, também se juntam à essas séries escolares o 8º ano do ensino fundamental e o 2º ano do ensino médio.

No caso do Ensino Médio de Tempo Integral retornam os estudantes do 2º e do 3º ano. Também estão autorizadas a voltar às salas de aula as turmas do último período/semestre dos cursos profissionalizantes e do último período da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Vale sempre lembrar que o retorno presencial das escolas da rede estadual de Minas é seguro, gradual, híbrido, facultativo e foi planejado, com todo o cuidado, para garantir o cumprimento dos protocolos sanitários e transmitir a segurança e confiança necessárias a alunos, funcionários, pais e responsáveis.

No modelo de ensino híbrido, implementado pela Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG), há alternância entre o atendimento presencial e o remoto. Em uma semana os estudantes participam de atividades na escola e na semana seguinte, as unidades de ensino não têm atividades presenciais e os professores fazem o atendimento pelo aplicativo Conexão Escola. Já na outra semana, as atividades voltam a ser presenciais e assim por diante.


Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.