Turismólogo O profissional deve ser dinâmico e gostar de atividades práticas

Fabricio Werneck
Colaboração*
27/09/2007

Viver viajando, conhecer lugares paradisíacos e novas pessoas. Essa pode ser a impressão que se tenha do turismólogo num primeiro momento. Mas muito se engana quem acredita que a profissão se resume a estas aptidões. Há muito o que aprender em quatro anos de faculdade para poder exercer a atividade.

O turismólogo é um profissional capacitado para elaborar e desenvolver ações turísticas em escalas internacionais, nacionais ou regionais. Entre as suas áreas de atuação, estão funções como gerenciar empresas turísticas, planejar e programar serviços e produtos turísticos, participar na elaboração de planos, projetos e programas municipais, estaduais e federais de turismo.

"Como todo mundo que começa um curso de Turismo, eu não conhecia bem como seria". Essa foi a frase proferida pelo ainda acadêmico, mas já dono de uma empresa em Juiz de Fora, Éderson Biancovilli. O empresário e estudante está no último período da faculdade, já entregou seu trabalho de conclusão de curso e espera apenas o final do ano para receber seu diploma. Há três anos montou uma empresa com a namorada, que trabalha com Turismo e Eventos na cidade.

Éderson conta que procurou uma profissão não usual, já que não queria seguir os passos de muitos homens da sua família: a advocacia. Chegou à faculdade sem saber bem o que queria e sem muita noção do mercado de trabalho que o aguardava. "O leque de possibilidades é muito grande e a faculdade dá noções de várias áreas como administração, comunicação, recreação, marketing", declara.

Formação acadêmica

Segundo a coordenadora do curso de Turismo de uma faculdade particular da cidade, professora Anne Bastos, o curso é muito procurado por jovens dinâmicos que gostam de exercer atividades práticas e não ficar apenas na teoria.

Durante o curso, os alunos tem noção de sociologia, filosofia, ética, história, geografia, meio ambiente, cultura e gestão. E especificidades da área como hotelaria, eventos, cerimonial e protocolo, agenciamento, transportes, marketing turístico, alimentos e bebidas, políticas de turismo, planejamento turístico, segmentos de turismo, lazer e recreação.

acadêmica Mariane "O turismólogo pode buscar vários canais diferentes", afirma Éderson. "O Turismo é um curso interdisciplinar, mas é algo que o torna muito interessante", completa a acadêmica Mariane Robusti, que se forma no final do ano.

A professora Anne ressalta ainda a importância das línguas estrangeiras na profissão. "Alguns alunos alguns passam pelo menos um semestre fora do país para melhorar a fluência no inglês, mas também para vivenciar nova experiência em destinos turísticos de renome internacional", afirma.

O estágio aparece como uma boa opção para quem quer se dar bem na profissão. "O momento de você estar aprendendo, saber o que realmente quer é no estágio dentro da faculdade", diz Éderson.

Mercado de trabalho atual

"Atualmente, a absorção de mão-de-obra especializada e o reconhecimento do turismólogo vem melhorando em todo país. Especialmente a partir da criação do Ministério do Turismo em 2003 e de seus respectivos programas. A atividade vem se tornando cada vez mais especializada e os empresários optando pelo emprego da mão-de-obra daquele que realmente conhece o fenômeno turístico", esclarece a coordenadora.

A profissão ainda não é regulamentada e por isso, os profissionais da área queixam-se de ainda não terem o devido reconhecimento. "A gente se prepara por quatro anos para melhor exercer uma atividade, enquanto tem muita gente que ocupam nossos cargos sem qualquer formação ou vindos de outras áreas", afirma Mariane.

*Fabricio Werneck é estudante de Comunicação Social da Universidade Federal de Juiz de Fora

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.