Quarta-feira, 20 de outubro de 2010, atualizada às 17h31

Sem Serra, Aécio, Itamar e Anastasia fazem campanha por votos ao candidato à presidência em JF

Clecius Campos
Repórter
Foto do discurso de Aécio

As bandeiras estampando o 45 e a movimentação de militantes em frente ao Teatro do Centro Cultural Pró-Música no início da tarde desta quarta-feira, 20 de outubro, eram sinais de campanha política pró-José Serra em terras juizforanas. Mas não foi dessa vez que o candidato tucano à presidência pisou em Juiz de Fora.

O movimento foi liderado pelos senadores eleitos Aécio Neves (PSDB) e Itamar Franco (PPS) e pelo governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia (PSDB), figuras que chegam pela terceira vez na cidade desde o primeiro turno. Desta vez, o evento foi um encontro com cem prefeitos da Zona da Mata e outras regiões de Minas.

Considerado um dos mais importantes cabos eleitorais de Serra em Minas Gerais, Aécio confirmou que a eleição de Serra pode fortalecer o projeto político do PSDB mineiro. "Qualquer que seja o resultado da eleição, no Senado, Itamar e eu, ao lado de Anastasia, vamos trabalhar muito para o fortalecimento da posição política de Minas. Respondendo objetivamente, a eleição de Serra fortalece sim o projeto político de Minas Gerais", disse em entrevista coletiva. No palanque, Anastasia foi mais ousado e vislumbrou a chegada de seu antecessor no governo de Minas à Presidência da República. "Essa reunião nos faz mostrar o que é Aécio Neves para o nosso futuro [do país] e a nossa liderança." O prefeito Custódio Mattos (PSDB) disse enxergar na vitória de Serra uma "renovação que vai culminar com Aécio na Presidência."

O ex-governador de Minas criticou a participação do presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) na campanha de Dilma Rousseff (PT). "A candidatura do PT ocupa um espaço a partir da popularidade do presidente da República, mas a partir do 31 de dezembro, Lula não será mais presidente da República." Aécio ainda nega que tenha utilizado da mesma estratégia para eleger, em primeiro turno, Antônio Anastasia. "[A candidatura de Anastasia] usou o êxito do nosso governo. O governador foi parte integrante de um projeto que foi o mais bem avaliado do Brasil durante oito anos. Há uma diferença fundamental. Eu respeito muito, sou amigo do presidente Lula, mas sua popularidade vem muito mais de sua capacidade de se comunicar diretamente com as pessoas, da sua história de vida."

Lula foi também criticado por Itamar Franco, que condenou o uso da expressão que marca os discursos do presidente, "Nunca na história desse país...". "Agora a candidata deles [do PT] começou a fazer comparações com os últimos cem anos. Será que [Juscelino] Kubitschek não fez nada por esse país? Vamos deixar que se diga que ele não teve relevância alguma para o Brasil? Essa mensagem parece vinda do além e preparada para uma candidata ventríloqua."

Mensagem em vídeo

Sem poder comparecer, Serra enviou uma mensagem em vídeo que foi projetada em um telão, dentro do teatro. O candidato iniciou o discurso virtual reconhecendo Juiz de Fora como berço da industrialização e fazendo promessas para Minas Gerais. "Temos o projeto de recuperar a infraestrutura das estradas, da energia, dos portos e aeroportos. Reverter o atraso na saúde, na segurança e na assistência social. O projeto é de recuperação da dignidade internacional e da economia do Brasil. Se o Brasil melhorar, Minas vai melhorar e eu quero ser um presidente amigo de Minas Gerais."

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.