SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A bandeira de Pernambuco foi confundida com um símbolo LGBTQIA+ nos arredores do Estádio Nacional de Lusail, no Qatar. Segundo o jornalista Victor Pereira, pessoas avançaram sobre duas mulheres que carregavam a bandeira do estado nordestino, vista como um símbolo LGBTQIA+ devido ao arco-íris em seu desenho. De acordo com Victor, os agressores pegaram a bandeira, jogaram-na no chão e pisaram.

O jornalista afirma que começava a filmar a situação quando os agressores, dentre os quais estariam policiais, pegaram seu celular, obrigando-o a apagar o vídeo que gravava. Victor está credenciado para cobrir a Copa do Mundo por diversos veículos de mídia e acompanhava a partida entre Argentina e Arábia Saudita.

Em outro vídeo, gravado por terceiros, ele aparece discutindo com um homem, rodeado por pessoas uniformizadas que carregam credenciais no peito --funcionários voluntários da Copa.

A violação de direitos LGBTQIA+ é um dos principais assuntos da Copa. Nos últimos dias, protestos foram registrados na Europa contra a realização do evento. Seleções do velho continente também ameaçaram entrar em campo com mensagens contra a homofobia, mas foram barradas pela FIFA, que decidiu punir com cartões amarelos quem se manifestar.