SÃO PAULO, SP (UOL - FOLHAPRESS) - Na manhã desta terça-feira (22), a Arábia Saudita venceu de virada a Argentina, de Lionel Messi. Não bastasse o placar inesperado para boa parte dos que acompanham o futebol, o atleta do PSG tem uma irônica coincidência com o algoz da vez: ele é embaixador do turismo do país árabe.

A parceria entre Messi e Arábia Saudita é recente, o jogador argentino fez o anúncio em maio deste ano. Na época, o caso chamou a atenção na França, onde o meia atua pelo PSG, pois a Arábia Saudita não tinha relações diplomáticas com o Qatar, país dos donos do clube francês.

No site 'Visit Saudi', o atleta aparece em vídeos e fotos em pontos turísticos. Há ainda locais que seriam indicações de Lionel Messi para o turista conhecer, além de um pacote com todas as experiências que o craque vivenciou em sua última viagem ao país asiático.

Assim como o vizinho Qatar, sede da atual Copa do Mundo, a Arábia Saudita tem um longo histórico de violações aos direitos humanos. A tática de vincular o esporte para melhorar a sua imagem no exterior não é novidade. Tanto que o Newcastle tem um dono saudita. Ações como essas são chamadas de sportwashing, do inglês sport (esporte) e wash (lavar).

Após a derrota, os argentinos contaram com a sorte de México e Polônia empatarem em 0 a 0. Neste sábado (26), a equipe sul-americana enfrenta os mexicanos, às 16h (de Brasília). Enquanto os poloneses enfrentam os árabes mais cedo, às 10h, no mesmo dia.