SÃO PAULO, SP (UOL - FOLHAPRESS) - Há um novo hit que pode fazer sucesso na Copa do Mundo do Qatar, em jogos da seleção brasileira.

O último treino do Brasil antes da estreia, contra a Sérvia, teve presença da torcida no lado de fora do estádio Grand Hamad. Os jogadores estavam distantes, no campo, mas o Movimento Verde e Amarelo (MVA) aproveitou para puxar a nova música em apoio à seleção.

A letra menciona jogadores populares da geração. Neymar, claro está lá, mas com a companhia de Richarlison e Vini Jr. Sobre o atacante do Real Madrid, há um gancho que vai além do campo.

"A gente quis fazer uma música por toda essa questão do racismo contra ele. Tem que dançar mesmo. Futebol é alegria", disse Saulo Mendonça, o Super Mano, um dos personagens que compõem o Movimento Verde e Amarelo.

A letra diz:

"Meu Brasil, vamo ganhar

Pombo e Neymar

Fazendo a festa

Nada me interessa

Vini jr vai sambar

E o gringo vai ficar

Louco da cabeça

Nada me interessa

Laiá laiá laiá"

O racismo começou a tomar forma quando o espanhol Koke, que disse que poderia haver problema se Vini dançasse na casa do Atlético. O assunto então foi parar na TV espanhola e o empresário Pedro Bravo fez um comentário racista, dizendo que o brasileiro estava se comportando como um macaco.

Vini se posicionou reafirmando sua vontade e seu direito de dançar e recebeu apoio em peso de personalidades. Antes do clássico de Madri, parte da torcida do Atlético ainda gritou na estrada do estádio: "És um macaco, Vinicius, és um macaco".

A seleção brasileira treinou no Grand Hamad e só 15 minutos iniciais da atividade foram abertos à imprensa. Tite não confirmou o time titular publicamente, mas a reportagem apurou que Vini Jr. será titular diante dos sérvios.

A bola rola nesta quinta-feira (24), a partir das 16h (de Brasília). O Brasil está no Grupo G, ao lado de Sérvia, Suíça e Camarões.