BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - Estádio da partida entre Inglaterra e Itália pela primeira fase da Copa do Mundo de 2014, a Arena da Amazônia, em Manaus (AM), teve a luz cortada pela Amazonas Energia nesta terça-feira (24) por falta de pagamento de contas.

Segundo comunicado da concessionária, a dívida total da arena é de R$ 39 milhões. O corte atinge também a Arena Amadeu Teixeira, um ginásio poliesportivo, ao lado do estádio, onde são realizadas, por exemplo, partidas de campeonatos de futebol de salão.

A Faar (Fundação Amazonas de Alto Rendimento), que administra as arenas e é vinculada ao governo do estado, afirma em nota que vem negociando a quitação da dívida com a Amazonas Energia desde 2022.

A fundação diz ainda que a maior parte do passivo foi adquirida em gestões anteriores do governo. "A Faar busca um acordo para as pendências, inclusive considerando as dívidas acumuladas que a Amazonas Energia possui com o Estado, superiores às devidas pela fundação", diz a nota.

A Faar declara que já efetuou parte do débito e "segue aberta a novas negociações com a companhia". A fundação não informou quais eventos estão comprometidos pela falta de energia na Arena da Amazônia.

Está prevista para este sábado (28), às 20h, partida entre Nacional e Rio Negro pela primeira fase do campeonato amazonense.

A Amazonas Energia afirma que o corte da luz ocorreu depois de tentativas de negociação amigável e com notificação prévia. A empresa disse também que a suspensão do fornecimento de energia ocorreu por se tratar de unidades consumidoras prestadoras de serviços não essenciais, como previsto em lei, conforme a concessionária.

Segundo a empresa, eventos foram realizados na Arena da Amazônia em 2022, mas sem o pagamento de contas de energia.

"A Arena da Amazônia, durante todo o ano de 2022, acumulou uma série de eventos realizados, movimentando novamente o local e enchendo o estádio de pessoas sem, no entanto, promover o pagamento das contas de luz mensais, acumulando dívidas mês a mês", apontou a concessionária.

A Arena da Amazônia foi um dos estádios construídos para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, ao custo de R$ 669 milhões, recursos pagos pelo governo do Amazonas e financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Agência Brasil - Arena da Amazônia tem luz cortada por não pagamento de contas