Matheus Brum Matheus Brum 2/07/2016

Tupi perde mais uma e é o lanterna da Série B

 

A partida contra o Vila Nova foi igual a várias outras que o Tupi enfrentou nesse Brasileiro. Se defendeu bem, tomou pressão em uns momentos, conseguiu se impor em outros, tomou gol em falha da zaga, e por fim, perdeu chances inacreditáveis. Placar final, 1 a 0, como de costume.

O início do jogo foi bem equilibrado, com as duas equipes se comportando bem na defesa. Pelo lado Carijó, Estevam Soares fez algumas modificações em relação à equipe que perdeu para o Sampaio Corrêa, na última terça-feira. Com os desfalques de Henrique, machucado e Rafael Jataí, suspenso, o treinador deslocou Douglas para a lateral direita, improvisou Bruno Costa na lateral esquerda, e promoveu a estreia do zagueiro Gabriel Santos. No meio, fez a estreia de Renan e barrou Filipe Alves, colocando Gabriel Sacilotto entre os 11 titulares.

A primeira chance de perigo só aconteceu aos 30 minutos. Vandinho recebeu na grande área, pelo lado esquerdo, girou pra cima da marcação e chutou bem de canhota. A bola explodiu no goleiro Rafael Santos, que fez boa defesa em dois tempos.

A partir dessa chegada, só deu Vila! Aos 35, Pedro Carmona cobrou escanteio pela direita. No primeiro pau, Reginaldo se antecipou a Rubens e colocou no fundo do barbante, abrindo o placar no Serra Dourada. O detalhe é que esse foi o terceiro gol da carreira de Reginaldo, que não balançava as redes desde 2013.

Os jogadores do Tupi sentiram o primeiro gol, e quase tomaram o segundo, numa blitz goiana. Marcelo Cordeiro cruzou pela esquerda. No segundo pau, Fabinho, de cabeça, ajeitou para Vandinho, que na marca do pênalti chutou de voleio. A bola, que tinha destino certo, explodiu no peito de Gabriel Santos. Na sequência, Douglas afastou mal, e a pelota sobrou para Victor Bolt, que arriscou de longe, para defesa tranquila de Rafael Santos.

O Galo Carijó voltou para o segundo tempo tentando recuperar o prejuízo. Tentando imprimir mais velocidade, principalmente com Jonathan e Vinícius Kiss, o time ia causando dor de cabeça para a defesa do Vila.

Aos 16 minutos, o Tupi perdeu mais um daqueles gols que vão entrar para a estatística do "e se". E se tivesse entrado, a história do jogo com certeza teria mudado. Marcos Serrato Lançou Jonathan, que ganhou da zaga, driblou o goleiro e rolou para o meio. Rubens "dormiu" no lance e não acompanhou a jogada, vendo a bola passar livre diante do gol vazio.

Precisando buscar o resultado, Estevam Soares mexeu mal. Sacou Sacilotto e colocou Filipe Alves. Com isso ele ganhou mais poder de defesa, mas perdeu qualidade na saída de bola. Tudo que não precisava naquele momento da partida.

Aos 28, quase o segundo do Vila. Jonathan perdeu bola no meio de campo e proporcionou um contrataque mandante. Rafinha lançou Fabinho que saiu cara a cara com Rafael Santos. Para alívio carijó, o atacante mandou para fora.

Vendo que a entrada de Filipe Alves não tinha surtido o efeito que o time precisava, Estevam resolveu pôr dois atacantes, colocando o time pra frente. Os contestados Giancarlo e Ygor entraram, nas vagas de Bruno Costa e Marcos Serrato, respectivamente. E foi justamente o meia-atacante que perdeu outra chance incrível. Jonathan foi lançado pela direita, chegou na linha de fundo e cruzou rasteiro. Ygor, sozinho, conseguiu chutar em cima da zaga, perdendo outra chance incrível.

No apagar das luzes, o Galo teve outra grande chance de empate. Jonathan cruzou da intermediária, e Rodolfo Mol, sozinho, cabeceou para fora, para desespero do zagueiro. Com o resultado, o Tupi amarga a lanterna da competição, já que o Sampaio Corrêa empatou com o Paysandu, chegando aos 10 pontos. O Tupi tem mais um jogo difícil pela frente. Na próxima sexta, enfrenta Ceará, às 21h30, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio.

Ficha Técnica

Vila Nova: Edson; Maguinho, Gustavo Geladeira, Anderson e Marcelo Cordeiro; Reginaldo, Victor Bolt, Robston (Roger) e Pedro Carmona (Rafinha); Vandinho (Frontini) e Fabinho. Técnico: Guilherme Alves

Tupi: Rafael Santos; Douglas, Rodolfo Mol, Gabriel Santos e Bruno Costa (Giancarlo); Renan, Gabriel Sacilotto (Filipe Alves), Marcos Serrato (Ygor), Vinícius Kiss e Jonathan; Rubens. Técnico: Estevam Soares
Arbitragem: Luiz Claudio Sobral (PE), auxiliado por Marcelino Castro de Nazaré (PE) e Ricardo Bezerra Chianca (PE)

Público e Renda: 3.085 (2.351 pagantes) / R$23.290,00


Matheus Brum nascido e criado em Juiz de Fora, jornalista em formação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e desde criança, apaixonado pelo Flamengo e por esportes. Já foi estagiário na Rádio CBN Juiz de Fora. Atualmente é escritor do blog "Entre Ternos e Chuteiras"; colaborador da Web Rádio Nac, apresentando uma coluna de opinião diariamente; editor e apresentador do programa Mosaico, que vai ao ar semanalmente na TVE, canal 12, e é membro da Acesso Comunicação Júnior, Empresa Júnior da Faculdade de Comunicação da UFJF, trabalhando no Departamento de Projetos e no núcleo de Jornalismo.

Os autores dos artigos assumem inteira responsabilidade pelo conteúdo dos textos de sua autoria. A opinião dos autores não necessariamente expressa a linha editorial e a visão do Portal ACESSA.com