Vexame! Tupi vai à Fonte Nova e é goleado por 4 a 0 pelo Bahia

Matheus Brum Matheus Brum 10/10/2016

Vexame! Vexame! Vexame! Não há outra palavra que defina a atuação do Tupi diante do Bahia. Com uma equipe apática e algumas modificações extremamente questionáveis, o Galo Carijó já estava perdendo por 3 a 0 com 19 minutos de jogo. O revés é a quarta derrota, em quatro jogos, do técnico Ricardinho, que vai, cada dia mais, mostrando que não tem nenhum conhecimento do elenco.

Aescalação já causou calafrio no torcedor. O ex-meia, pentacampeão mundial, promoveu o volante Marcel e o meia-atacante Ygor, ao time titular. No banco, barrou Serrato e Giancarlo. O prenuncio do desastre já estava anunciado.

O Bahia já começou em cima. Nos primeiros minutos, Edigar Junio e Wesley finalizaram com perigo. O Tupi era inoperante em campo, sem a posse de bola, e, consequentemente, sem chegar ao ataque.

Num período de oito minutos, o Tricolor de Aço marcou três gols. A porteira abriu aos 11. Hernane ajeitou para Renato Cajá, que chutou de perna direita à meia altura, entrando no canto esquerdo de Rafael Santos. Aos 17, Edigar Junio cruzou da esquerda e Wesley Natã cabeceou para o fundo da rede. Dois minutos depois, Juninho cobrou falta do “meio da rua”. A bola desviou na cabeça de Gabriel Santos e enganou Rafael Santos. 3 a 0, e humilhação decretada.

Depois dos gols, a partida acabou. Os jogadores do Tupi não tiveram emocional, nem técnica para reagir, e o Bahia já sabia que estava com os três pontos “no bolso”.

Na volta pro segundo tempo, Ricardinho sacou Hiroshi e colocou Giancarlo. Com o camisa 9, o treinador buscava uma referência, que pudesse disputar bolas áreas com a zaga adversária e também segurar o jogo no campo ofensivo.

O centroavante entrou bem, e quase diminuiu em duas chances, aos 17 minutos. No primeiro lance, saiu cara a cara com Muriel e chutou, para ótima defesa do camisa 1. No lance seguinte, depois de cobrança de escanteio, conseguiu desviar na pequena área, mas mandou por cima do travessão.

O lance deu uma animada no alvinegro, que chegou de forma perigosa minutos depois, num chute de fora da área de Bruno Costa, que assustou Muriel.

Contudo, o “banho de água fria”, veio aos 24. Tinga recebeu na ponta esquerda, foi na linha de fundo e cruzou rasteiro. Hernane fez “corta luz” para Régis, que dominou, limpou Renan Teixeira, e cutucou pro fundo do barbante.

Após o gol, o tricolor ficou trocando passes na intermediária, diante de um Tupi atônito, que não sabia o que fazer para mudar a situação. Por complacência, os mandantes resolveram não partir para cima, deixando o placar apenas no 4 a 0.

Com o resultado, a situação do Tupi na tabela continua caótica. Faltando 9 jogos para o final da Série B, o time se encontra na 18º colocação, com 26 pontos, seis atrás do Oeste, primeiro fora do Z-4. O próximo confronto do alvinegro é parada dura. A equipe viaja até Santa Catarina para enfrentar o Avaí, 4º colocado, no próximo sábado, às 21h.

Ficha Técnica

Gols: Renato Cajá (BAH), aos 11, do 1º tempo; Wesley Natã (BAH), 17, do 1º tempo; Juninho (BAH), aos 19, do 1º tempo; Régis, aos 24, do 2º tempo;

Bahia: Muriel, Eduardo, Tiago, Jackson e Tinga; Juninho (Feijão), Luiz Antônio e Renato Cajá (Regis); Wesley Natã (Victor Rangel), Edigar Junio e Hernane. Técnico: Guto Ferreira

Tupi: Rafael Santos, Henrique, Gabriel Santos, Thiago Sales e Bruno Costa; Renan Teixeira, Marcel, Pedrinho (Marcos Serrato) e Hiroshi (Giancarlo); Jonathan (Thiaguinho) e Ygor. Técnico: Ricardinho

Arbitragem: Luiz César de Oliveira Magalhães (CE), auxiliado por Marcione Mardonio da Silva (CE) e Armando Lopes de Sousa (CE)

Publico: 17.075 pagantes / R$27.450,50

Estatísticas

Estatísticas
Bahia Tupi
Passes Errados 45 50
Finalizações 19 (7 certas e 12 erradas) 11 (3 certas e 8 erradas)
Cruzamentos 21 (4 certos e 17 errados) 21 (7 certos e 14 errados)
Desarmes 24 18
Faltas Cometidas 14 8
Cartões 0 2 amarelos
Lançamentos 40 (18 certos e 22 errados) 42 (11 certos e 31 errados)
Impedimentos 0 1

Matheus Brum nascido e criado em Juiz de Fora, jornalista em formação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e desde criança, apaixonado pelo Flamengo e por esportes. Já foi estagiário na Rádio CBN Juiz de Fora. Atualmente é escritor do blog "Entre Ternos e Chuteiras"; colaborador da Web Rádio Nac, apresentando uma coluna de opinião diariamente; editor e apresentador do programa Mosaico, que vai ao ar semanalmente na TVE, canal 12, e é membro da Acesso Comunicação Júnior, Empresa Júnior da Faculdade de Comunicação da UFJF, trabalhando no Departamento de Projetos e no núcleo de Jornalismo.

Os autores dos artigos assumem inteira responsabilidade pelo conteúdo dos textos de sua autoria. A opinião dos autores não necessariamente expressa a linha editorial e a visão do Portal ACESSA.com

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.