Fora de casa, Tupi perde para o Ceará por 2 a 1

Matheus Brum Matheus Brum 7/11/2016

O roteiro do jogo foi o mesmo de várias partidas do Tupi ao longo do Campeonato Brasileiro da Série B. Começou bem, pressionou o adversário, deu esperanças que ia vencer, mas, a zaga falhou, o time se perdeu em campo, e mais uma vez saiu derrotado.

Mesmo com promoção da diretoria, a Arena Castelão estava vazia, sem a pressão habitual da torcida do Ceará. O Galo Carijó começou melhor, mas sofreu o primeiro baque aos oito minutos. Felipe Menezes chutou de longe, Rafael Santos falhou, e no rebote, Bill empurrou pro fundo das redes. Foi o décimo terceiro gol do centroavante na Série B, assumindo a artilharia da competição ao lado de Felipe Garcia, do Brasil de Pelotas.

O gol abalou o alvinegro juiz-forano. O time passou a errar muitos passes e cometeu diversas falhas de posicionamento defensivo. Aos 39 minutos, o Vozão aumentou o placar. Eduardo cruzou da esquerda e Lelê, sozinho no segundo pau, teve tempo de dominar a chutar no ângulo direito de Rafael Santos.

Tentando reverter o resultado, o técnico Ricardinho promoveu duas mudanças na volta para o segundo tempo. Henrique substituiu Douglas na lateral direita e Ygor entrou no lugar de Vinícius Kiss no meio.

Precisando desesperadamente da vitória, o Tupi foi pra cima, assumiu o controle do jogo e encurralou o Ceará dentro do próprio campo. Contudo, os atletas pecavam nas finalizações. Jonathan, Luiz Paulo e Hiroshi perderam chances claras de diminuir o placar.

Todavia, como diz o velho ditado "água mole em pedra dura, tanto bate até que fura", Hiroshi e Jonathan tabelaram, aos 29 minutos, e o camisa 10 tocou na saída do goleiro Éverson, diminuindo o placar.

O gol deu animo a equipe, que partiu pra cima no último quarto de jogo. Porém, o nervosismo foi mais forte e o time não conseguia usar a superioridade para criar chances de empate. Final da partida: Ceará 2 vs 1 Tupi.

Com a derrota, o Galo continua no Z-4, com 30 pontos, agora a seis do Oeste, primeiro time fora da Zona do Rebaixamento.

O Alvinegro de Juiz de Fora volta a campo na próxima terça-feira, 8, a partir de 19h15, quando receberá o CRB no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, pela 35ª rodada da Série B.

Estatística



Ceará

Tupi

Passes Errados

48

42

Finalizações

13 (5 certas e 8 erradas)

11 (3 certas e 8 erradas)

Cruzamentos

16 (5 certos e 11 errados)

16 (8 certos e 8 errados)

Faltas

12

10

Cartões

1 amarelo

0

Lançamentos

42 (14 certos e 28 errados)

32 (16 certos e 16 errados)

Impedimentos

2

2

Desarmes

21

11


Ficha Técnica

Gols: Bill (CEA), aos 8 minutos do 1º tempo; Lelê (CEA), aos 39 minutos do 1º tempo; Hiroshi (TUP), aos 29 minutos do 2º tempo

Ceará: Éverson; Tiago Cametá, Ewerton Páscoa, Charles e Eduardo; Richardson (Raúl), Felipe Menezes, Felipe (Serginho) e Wescley; Lelê e Bill (Rafael Costa). Técnico: Sérgio Soares

Tupi: Rafael Santos; Douglas (Henrique), Gabriel Santos, Bruno Costa e Luiz Paulo; Renan Teixeira, Recife, Vinícius Kiss (Ygor), Hiroshi e Jonathan (Sávio); Giancarlo. Técnico: Ricardinho

Arbitragem: Devarly Lira do Nascimento (ES), auxiliado por Leonardo Mendonça (ES) e Valberson Braz Zanotti (ES)

Público e Renda: 3.374 / R$18.960,00

-

Fora de casa, Tupi perde para o Ceará por 2 a 1

Matheus Brum Matheus Brum 7/11/2016

O roteiro do jogo foi o mesmo de várias partidas do Tupi ao longo do Campeonato Brasileiro da Série B. Começou bem, pressionou o adversário, deu esperanças que ia vencer, mas, a zaga falhou, o time se perdeu em campo, e mais uma vez saiu derrotado.

Mesmo com promoção da diretoria, a Arena Castelão estava vazia, sem a pressão habitual da torcida do Ceará. O Galo Carijó começou melhor, mas sofreu o primeiro baque aos oito minutos. Felipe Menezes chutou de longe, Rafael Santos falhou, e no rebote, Bill empurrou pro fundo das redes. Foi o décimo terceiro gol do centroavante na Série B, assumindo a artilharia da competição ao lado de Felipe Garcia, do Brasil de Pelotas.

O gol abalou o alvinegro juiz-forano. O time passou a errar muitos passes e cometeu diversas falhas de posicionamento defensivo. Aos 39 minutos, o Vozão aumentou o placar. Eduardo cruzou da esquerda e Lelê, sozinho no segundo pau, teve tempo de dominar a chutar no ângulo direito de Rafael Santos.

Tentando reverter o resultado, o técnico Ricardinho promoveu duas mudanças na volta para o segundo tempo. Henrique substituiu Douglas na lateral direita e Ygor entrou no lugar de Vinícius Kiss no meio.

Precisando desesperadamente da vitória, o Tupi foi pra cima, assumiu o controle do jogo e encurralou o Ceará dentro do próprio campo. Contudo, os atletas pecavam nas finalizações. Jonathan, Luiz Paulo e Hiroshi perderam chances claras de diminuir o placar.

Todavia, como diz o velho ditado "água mole em pedra dura, tanto bate até que fura", Hiroshi e Jonathan tabelaram, aos 29 minutos, e o camisa 10 tocou na saída do goleiro Éverson, diminuindo o placar.

O gol deu animo a equipe, que partiu pra cima no último quarto de jogo. Porém, o nervosismo foi mais forte e o time não conseguia usar a superioridade para criar chances de empate. Final da partida: Ceará 2 vs 1 Tupi.

Com a derrota, o Galo continua no Z-4, com 30 pontos, agora a seis do Oeste, primeiro time fora da Zona do Rebaixamento.

O Alvinegro de Juiz de Fora volta a campo na próxima terça-feira, 8, a partir de 19h15, quando receberá o CRB no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, pela 35ª rodada da Série B.

Estatística



Ceará

Tupi

Passes Errados

48

42

Finalizações

13 (5 certas e 8 erradas)

11 (3 certas e 8 erradas)

Cruzamentos

16 (5 certos e 11 errados)

16 (8 certos e 8 errados)

Faltas

12

10

Cartões

1 amarelo

0

Lançamentos

42 (14 certos e 28 errados)

32 (16 certos e 16 errados)

Impedimentos

2

2

Desarmes

21

11


Ficha Técnica

Gols: Bill (CEA), aos 8 minutos do 1º tempo; Lelê (CEA), aos 39 minutos do 1º tempo; Hiroshi (TUP), aos 29 minutos do 2º tempo

Ceará: Éverson; Tiago Cametá, Ewerton Páscoa, Charles e Eduardo; Richardson (Raúl), Felipe Menezes, Felipe (Serginho) e Wescley; Lelê e Bill (Rafael Costa). Técnico: Sérgio Soares

Tupi: Rafael Santos; Douglas (Henrique), Gabriel Santos, Bruno Costa e Luiz Paulo; Renan Teixeira, Recife, Vinícius Kiss (Ygor), Hiroshi e Jonathan (Sávio); Giancarlo. Técnico: Ricardinho

Arbitragem: Devarly Lira do Nascimento (ES), auxiliado por Leonardo Mendonça (ES) e Valberson Braz Zanotti (ES)

Público e Renda: 3.374 / R$18.960,00

Fora de casa, Tupi perde para o Ceará por 2 a 1

Matheus Brum Matheus Brum 7/11/2016

O roteiro do jogo foi o mesmo de várias partidas do Tupi ao longo do Campeonato Brasileiro da Série B. Começou bem, pressionou o adversário, deu esperanças que ia vencer, mas, a zaga falhou, o time se perdeu em campo, e mais uma vez saiu derrotado.

Mesmo com promoção da diretoria, a Arena Castelão estava vazia, sem a pressão habitual da torcida do Ceará. O Galo Carijó começou melhor, mas sofreu o primeiro baque aos oito minutos. Felipe Menezes chutou de longe, Rafael Santos falhou, e no rebote, Bill empurrou pro fundo das redes. Foi o décimo terceiro gol do centroavante na Série B, assumindo a artilharia da competição ao lado de Felipe Garcia, do Brasil de Pelotas.

O gol abalou o alvinegro juiz-forano. O time passou a errar muitos passes e cometeu diversas falhas de posicionamento defensivo. Aos 39 minutos, o Vozão aumentou o placar. Eduardo cruzou da esquerda e Lelê, sozinho no segundo pau, teve tempo de dominar a chutar no ângulo direito de Rafael Santos.

Tentando reverter o resultado, o técnico Ricardinho promoveu duas mudanças na volta para o segundo tempo. Henrique substituiu Douglas na lateral direita e Ygor entrou no lugar de Vinícius Kiss no meio.

Precisando desesperadamente da vitória, o Tupi foi pra cima, assumiu o controle do jogo e encurralou o Ceará dentro do próprio campo. Contudo, os atletas pecavam nas finalizações. Jonathan, Luiz Paulo e Hiroshi perderam chances claras de diminuir o placar.

Todavia, como diz o velho ditado "água mole em pedra dura, tanto bate até que fura", Hiroshi e Jonathan tabelaram, aos 29 minutos, e o camisa 10 tocou na saída do goleiro Éverson, diminuindo o placar.

O gol deu animo a equipe, que partiu pra cima no último quarto de jogo. Porém, o nervosismo foi mais forte e o time não conseguia usar a superioridade para criar chances de empate. Final da partida: Ceará 2 vs 1 Tupi.

Com a derrota, o Galo continua no Z-4, com 30 pontos, agora a seis do Oeste, primeiro time fora da Zona do Rebaixamento.

O Alvinegro de Juiz de Fora volta a campo na próxima terça-feira, 8, a partir de 19h15, quando receberá o CRB no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, pela 35ª rodada da Série B.

Estatística



Ceará

Tupi

Passes Errados

48

42

Finalizações

13 (5 certas e 8 erradas)

11 (3 certas e 8 erradas)

Cruzamentos

16 (5 certos e 11 errados)

16 (8 certos e 8 errados)

Faltas

12

10

Cartões

1 amarelo

0

Lançamentos

42 (14 certos e 28 errados)

32 (16 certos e 16 errados)

Impedimentos

2

2

Desarmes

21

11


Ficha Técnica

Gols: Bill (CEA), aos 8 minutos do 1º tempo; Lelê (CEA), aos 39 minutos do 1º tempo; Hiroshi (TUP), aos 29 minutos do 2º tempo

Ceará: Éverson; Tiago Cametá, Ewerton Páscoa, Charles e Eduardo; Richardson (Raúl), Felipe Menezes, Felipe (Serginho) e Wescley; Lelê e Bill (Rafael Costa). Técnico: Sérgio Soares

Tupi: Rafael Santos; Douglas (Henrique), Gabriel Santos, Bruno Costa e Luiz Paulo; Renan Teixeira, Recife, Vinícius Kiss (Ygor), Hiroshi e Jonathan (Sávio); Giancarlo. Técnico: Ricardinho

Arbitragem: Devarly Lira do Nascimento (ES), auxiliado por Leonardo Mendonça (ES) e Valberson Braz Zanotti (ES)

Público e Renda: 3.374 / R$18.960,00