Tupi é goleado e Éder Bastos não é mais treinador carijó

Nome do Colunista Matheus Brum 13/02/2017
foto

A expectativa para a partida contra o Cruzeiro era grande. Mas, os torcedores alvinegros saíram do Estádio Municipal Radialista Mário Helênio com a cabeça inchada. Rafael Sóbis (2), Léo e Robinho, fizeram os tentos da goleada por 4 a 0, fora o baile. Após a partida, a presidente do Tupi, Myrian Fortuna, através do twitter, comunicou a demissão do técnico Éder Bastos.

A situação, repete a ocorrida no ano passado. Na ocasião, Júnior Lopes, depois de atrito com o então Vice-Presididente do Conselho Gestor, Cloves Santos, foi demitido com duas rodadas de Estadual. A expectativa fica por conta de quem será anunciado como novo treinador do time de Santa Terezinha.

Dentro de campo parecia que nada havia mudado em relação à equipe que estreou contra o Tombense, duas semanas atrás. Laterais afobados, zaga mal posicionada, meio de campo sem combatitividade e ataque inefetivo. Contra um Cruzeiro jogando com os titulares, a previsão era de que seria difícil sair do Municipal com um bom resultado.

A crônica do jogo poderia ser diferente, se não fosse pelo egoísmo de Juninho. Aos 12 minutos, o camisa 10 recebeu passe em profundidade e driblou Rafael. Só que ao invés de tocar para Caça Rato, que estava sozinho, tentou resolver o lance. Antes de finalizar, foi travado pela zaga celeste. CR7 foi a loucura com o companheiro.

Depois do susto, o Cruzeiro voltou ao comando da partida. Aos 19, Sóbis cobrou uma falta perfeita no canto direito de Gideão. O goleiro chegou a encostar na bola, mas não evitou o tento celeste.
Depois da abertura do placar, o alvinegro se perdeu e se tornou presa fácil. Aos 26, Ezequiel cruzou da ponta direita. Léo, sozinho, testou para o fundo do barbante.

Com 2 a 0, o Cruzeiro diminuiu o ritmo e ficou tocando a bola. Ainda assim, quase ampliou com Arrascaeta, que colocou no travessão, depois de cruzamento de Ezequiel, num lance replay do segundo gol.

No último minuto do segundo tempo, Robinho deixou Edmário no chão e na risca da grande área, chutou rasteiro no canto direito. 3 a 0 e desânimo do lado carijó das arquibancadas.

Para a segunda etapa, Éder Bastos tentou melhorar o time com entradas de Sávio, Jajá e Leandro Ferreira. Mesmo assim, o Tupi não se encontrava. Euller, zagueiro improvisado na lateral direita fazia uma partida péssima. Até domínio de bola o camisa 2 errou.

O placar só não ficou mais elástico, porque Gideão salvou o “Fantasma do Mineirão” em chutes de Arrascaeta e Henrique. Mesmo cozinhando a partida em “banho-maria”, o Cruzeiro “fechou o caixão” no apagar das luzes. Elivelton falhou, Sóbis roubou a bola e cara-a-cara com Gideão, tocou no canto esquerdo. 4 a 0 e gritos de olé vindos da arquibancada.

Sem técnico e na zona de rebaixamento, o Tupi enfrenta o Tricordiano, no próximo sábado, às 18h, em Muriaé.

Ficha Técnica

Gols: Rafael Sóbis, aos 19’ do 1º tempo;  Léo, aos 26’ do 1º tempo; Robinho, aos 47’ do 1º tempo; Rafael Sóbis, aos 46’ do 1º tempo

Tupi: Gideão; Euller, Elivelton, Edmário e Bruno Santos; Marcel (Leandro Ferreira), Bonilha e Juninho (Sávio); Flávio Caça Rato (Jajá), Carlos Júnior e Matheus Pato. Técnico: Éder Bastos

Cruzeiro: Rafael; Ezequiel, Luís Caicedo, Léo e Diogo Barbosa (Fabrício); Ariel Cabral, Henrique, Robinho e Arrascaeta (Élber);  Rafael Sóbis e Alisson (Rafinha). Técnico: Mano Menezes

Arbitragem: Renato Cardoso da Conceição, auxiliado por Magno Arantes Lira e Frederico Soares Vilarinho

Público e Renda: 6.037 (5.406 pagantes) / R$128.160,00

Estatísticas
Tupi Cruzeiro
Passes Errados
38 21
Finalizações 6 (5 certas e 1 errada)
28 (10 certas e 18 erradas)
Desarmes 7
8
Faltas Cometidas
11 16
Impedimentos 111 165
Cartões 2 amarelos
2 amarelos

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.