Com reservas, Tupi perde em casa. Agora, encara Fortaleza nas quartas de final

Matheus Brum Matheus Brum 11/09/2017

O Tupi recebeu o Bragantino em partida válida pela última rodada do Grupo B da Série C do Campeonato Brasileiro. Diante do seu torcedor, até começou bem, abrindo o placar. Entretanto, acabou sofrendo a virada e amargou uma derrota por 3 a 2. Com o resultado, terminou a primeira fase na segunda colocação. Agora, vai encarar o Fortaleza, terceiro do Grupo A, nas quartas de final. O primeiro confronto será na capital cearense, ainda sem data definida, e a volta, em Juiz de Fora, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio.

Com nove reservas (apenas Fernando e Andrey seguiram como titulares), o Galo começou com tudo. Logo aos dois minutos, Johnatan arrancou pela direta e cruzou. A zaga do Massa Bruta fez o corte parcial. Da meia lua, Kalu finalizou. No meio do caminho, bola bateu em Rafael Teixeira, que conseguiu dominá-la. No giro, finalizou forte, sem chances de defesa para Renan Rocha.

Com a abertura do placar, aliado à situação desesperadora da equipe paulista, que precisava vencer para escapar do rebaixamento, tudo indicava que o jogo ia ficar à mercê do alvinegro juiz-forano. No entanto, não foi isso que se mostrou em campo. O Bragantino, aos poucos, foi chegando ao ataque, levando perigo à meta de Vilar, que substituía Paulo Henrique.

Aos 15 minutos, Marino lançou Adriano Paulista na grande área. O goleiro carijó tentou sair para abafar, mas não achou nada. O camisa 7 tocou por cima e encontrou Matheus Peixoto, na linha do gol. O centroavante só teve o trabalho de escorar de cabeça e empatar o confronto.

Com a igualdade no placar, o clima nas arquibancadas começou a ficar tenso. Os pouco mais de 1.100 torcedores presentes no Municipal começaram a reclamar a cada jogada ruim da equipe juiz-forana. Com o meio de campo apagado, o Bragantino conseguia recuperar a bola e criar jogadas de perigo. Marino, Edson Sitta e Gilberto tiveram boas chances de abrir o placar. Os dois primeiros mandaram para fora e o terceiro cobrou falta para a defesa de Vilar.

Aos 33, a virada paulista. Em cobrança de escanteio o camisa 1 alvinegro saiu mal, e o zagueiro Gilberto testou firme para o fundo das redes.

Na volta do intervalo, o técnico Ailton Ferraz, promoveu uma mudança na equipe. Sacou o lateral direito Afonso e colocou o centroavante Ítalo. Assim, ganhou mais poder de fogo, na tentativa de encurralar o time adversário.

A mudança, no entanto, não deu certo. O Tupi continuou com dificuldades na articulação das jogadas, dando espaços e contra-ataques para o Bragantino, que tinha dificuldades na finalização.

Aos 17, Ailton sacou Juninho e colocou Romarinho. Mais poder ofensivo para o Galo. Contudo, seis minutos depois, o terceiro do Braga. Anderson Ligeiro cobrou escanteio no primeiro pau. Guilherme ganhou de Helder no alto e cabeceou para o fundo dos barbantes.

Com 3 a 1 contra, a torcida ficou impaciente. Começou a gritar “olé” a favor dos visitantes e algumas palavras de ordem e xingamentos foram ouvidos das arquibancadas.

Com o receio de transformar a derrota em goleada, o comandante carijó colocou o zagueiro Patrick na vaga de Rafael Teixeira. Assim, passou a atuar no 3-5-2, como normalmente joga nas partidas longe de Juiz de Fora.

Satisfeitos com o resultado, que os mantinha na terceira divisão, o Massa Bruta “amarrou” o jogo. Com isso, oportunidades surgiram a favor do Tupi. Em uma delas, Carlos Júnior cobrou escanteio da direita. Fernando desviou no primeiro pau e a bola sobrou para Romarinho, de peixinho, empurrar para as redes. Primeiro gol do filho de Romário com a camisa alvinegra.

Precisando de um tento para arrancar o empate, o Galo foi para cima. Entretanto, não conseguiu criar grandes oportunidades de gol. Final de partida, Tupi 2 x 3 Bragantino.

Com a derrota, o Tupi terminou a competição em segundo lugar do Grupo B. Agora, no mata-mata, vai enfrentar o Fortaleza, terceiro do Grupo A. O primeiro jogo vai ser realizado em Fortaleza, no Estádio Castelão. A volta, será disputada em Juiz de Fora. As datas e horários dos confrontos serão definidas nesta segunda-feira, em sorteio realizado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Ficha Técnica

Local: Estádio Municipal Radialista Mário Helênio

Data: 09 de setembro de 2017 (sábado)

Tupi: Rafael Vilar, Afonso (Ítalo), Hélder, Fernando e Juninho (Romarinho); Kalu, Johnatan e Bonilha; Andrey, Carlos Júnior e Rafael Teixeira (Patrick). Técnico: Ailton Ferraz

Bragantino: Renan Rocha, Kellyton, Gilberto, Guilherme e Fabiano; Adenilson, Edson Sitta, Marino e Adriano Paulista (Roberto Pitio); Rafael Chorão (Anderson Ligeiro) e Matheus Peixoto (Juliano). Técnico: Marcelo Veiga.

Arbitragem: Nielson Nogueira Dias (PE), auxiliado por Ricardo Bezerra Chianca (PE) e Fabrício Leite Sales (PE)

Público e Renda: 1.171 (907 pagantes) / R$17.940.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.