• Assinantes
  • Autenticação
  • Campeonato Mineiro

    Clima de decisão no Independência Tupi começa a decidir em Belo Horizonte seu destino na competição

    Guilherme Oliveira
    *Colaboração
    09/03/2007

    "Temos que encarar esse jogo como se fosse uma guerra, vai ser uma guerra. Perdemos quatro pontos em casa nos últimos jogos e temos que recuperar agora". Com essas palavras, o goleiro Marcelo sintetizou bem o clima que se encontra o Tupi para a confronto entre o América, em Belo Horizonte.

    O clima não poderia ser outro. Depois de uma semana conturbada, devido a demissão de treinador Tita, declarações e resultados não satisfatórios, os três pontos passam a ser cada vez mais obrigatórios. Num Campeonato em que 11 jogos decidem o destino de cada equipe, a competição chega à reta final e o Tupi precisa mostrar que tem condições de figurar entre os quatro primeiros colocados. Para dar ares ainda mais dramáticos à "batalha", os dois clubes precisam da vitória. O Galo carijó sonha com a classificação e o coelho quer somar pontos para tentar fugir da segunda divisão.

    Por causa dos últimos tropeços, talvez mesmo uma vitória, neste sábado, dia 10 de março, no Independência não coloque a equipe juizforana na zona de classificação, mas trará ânimo novo para a difícil tarefa que resta ao carijó. Com a pontuação da tabela atual, o Tupi depois que enfrentar o América, ainda vai pegar quatro dos cinco primeiros colocados (Cruzeiro, Rio Branco, Ipatinga e Caldense).

    Zé Luis e Joel Martins Segundo o treinador Zé Luis, o fato da má campanha do adversário não favorece o Tupi e nem coloca o time de Juiz de Fora como favorito. "Jogar contra o América é sempre complicado. Apesar de estarem mal na tabela temos que tratar com muito respeito esse jogo".

    Para vencer o Coelho, o treinador aposta em duas atitudes simples: colocar cada jogador na sua real posição e que os jogadores se comuniquem mais em campo. "Alguns jogadores estavam incomodados por terem que atuar em funções que não eram as suas, isso já foi resolvido. Outro fator que o time vai começar a apresentar em campo é ser mais comunicativo. Os jogadores não se elogiavam, não se cobravam", afirma o treinador.

    Para o jogo decisivo, quem volta a atuar pela equipe titular é Domingos. O zagueiro diz estar preparado e ter conversado com os companheiros do sistema defensivo sobre o ataque do coelho. Temos que ter muita atenção. Eles são rápidos, tem o Euller e sempre tem que haver um na sobra", alertou o zagueiro que entra no lugar de Samuel que cumpre suspensão pelo cartão vermelho no jogo contra o Democrata GV.

    O Tupi entre em campo com: Marcelo, Santos, César, Domingos e Gean; Johnny, Júnior Negão, Chicão e Sidnei; Leandro Guerreiro e Felipe. O jogo acontece às 18:30h.

    Recreativo

  • Na última preparação antes de viajar para Belo Horizonte, a equipe treinou muitos cruzamentos, finalizações e cobranças de falta. No final do recreativo, um "rachão" descontraiu os jogadores. Leandro Guerreiro e Júnior Negão atuaram como goleiros.
  • O meia Geraldo é dúvida, ele sofreu um trauma na unha do pé, sente dores e não deve atuar. Gilson com dores no músculo adultor da coxa direita, Juninho e Renato Santiago também não viajam. Renato teve rompimento dos ligamentos laterias do tornozelo no treinamento de quinta-feira, dia 7 de março, e fica em tratamento por três semanas.
  • *Guilherme Oliveira é estudante de Comunicação Social da Universidade Federal de Juiz de Fora

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.