• Assinantes
  • Autenticação
  • Fim de Ano

    Bom senso ajuda a evitar constrangimentos durante a ceia de Natal Ser pouco tolerante ou lançar comentários maldosos ou indiscretos pode provocar desentendimentos durante a confraternização

    Aline Furtado
    Repórter
    24/12/2010
    Ceia de Natal

    Natal. Época de reunir a família e os amigos para celebrar o nascimento do Menino Jesus. O período é marcado por desejos de harmonia e paz, contudo, durante a ceia de confraternização, quando os sentimentos são intensificados, podem surgir desentendimentos.

    "As pessoas devem sair de casa dispostas a ouvir qualquer tipo de comentário, pensando que o melhor, no caso de indisposições, é levar tudo na esportiva, a fim de não estragar a festa". A dica é da coordenadora do curso de Eventos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, Maria Teresa Mansur, que lembra que ter bom senso é fundamental. "O melhor é ouvir de forma tranquila e cuidar do que vai falar."

    Segundo ela, pensando desta forma, é possível evitar discussões e constrangimentos entre familiares e encarar verdadeiras situações-limite sem perder a classe. Embora as pessoas não parem para pensar em pequenas atitudes e comentários que podem desencadear atritos, as indelicadezas são muito comuns nas festas de final de ano. Pensando nisso, o Portal ACESSA.com preparou algumas dicas para evitar "micos" durante a ceia de Natal.

    Momento de fé

    Um simples momento, que tem grande significado na noite de Natal, é a oração. Entretanto, é importante lembrar que a confraternização pode reunir pessoas de diferentes credos, o que, muitas vezes, define, inclusive, hábitos alimentares.

    "A dica é que o anfitrião pense nisso antes e procure fazer uma oração de caráter ecumênico, a fim de que nenhuma religião seja valorizada, em detrimento de outras. O ideal é buscar alguém que não apresente relação muito profunda com um credo para não correr o risco de puxar para determinada religião."

    Abrindo os presentes

    Muitas pessoas recebem os presentes e deixam para abri-lo depois. Segundo Maria Teresa, o hábito configura uma gafe. "O correto é abrir quando receber, na frente de quem presenteou, demonstrando educação e agradecimento."

    Criança mal educada

    Não há nada mais incômodo do que uma criança mal educada ou birrenta sentada à mesa, entre os demais convidados. "Quem deve cuidar disso são os pais. Não tente, em hipótese alguma, repreender ou ensinar, a fim de que constrangimentos sejam evitados."

    A especialista lembra que é possível conversar com a mãe, dando toques sobre o comportamento da criança, mas isso deve ser feito de forma discreta, em outro momento, longe dos convidados. "Só fale se a mãe for sua irmã ou outro tipo de parente bem próximo."

    Perguntas indiscretas

    É comum que algumas pessoas, tentando ser simpáticas ou não, façam perguntas sobre questões relacionadas à vida pessoal. No caso de alguém solteiro, a pergunta diz respeito ao fato de arrumar um namorado. Se namora, a pergunta refere-se à possível data de casamento. E, por aí vai... "Cada fase da vida merece uma pergunta indiscreta, seja com relação a um parceiro, a filhos ou a outros aspectos. O ideal é que estas perguntas não ocorram porque demonstram falta de bom senso, mas se surgirem, leve na esportiva, seja simpático e tente mudar de assunto."

    "Acho melhor você parar de beber"

    Durante as festas de final de ano, é comum ouvir frases que remetem à tentativa de controle com relação à bebida ou à comida. "Cada um deve saber seu limite. Apenas em casos extremos, estes toques devem ser dados, até porque podem evitar problemas maiores, como piadas sem graça ou brincadeiras de mau gosto, que podem surgir ao partir do abuso de bebida."

    Chegou alguém que não foi convidado

    Neste caso, o melhor é tratá-lo como os demais convidados, agindo com naturalidade, ainda que não tenha um presente a ser oferecido a ele.

    Atritos em família

    Na ceia, poderão estar presentes familiares que já tiveram algum tipo de desentendimento anterior e, por isso, não se falam. O ideal é ignorar o fato, mantendo essas pessoas o mais longe possível.

    Estilos diferentes

    No caso de pessoas com estilos diferentes, como alguém que tenha um jeito alternativo de se vestir, por exemplo, o melhor é evitar comentários com a própria pessoa e seus parentes mais próximos, ainda que seja impossível não falar a respeito nas rodinhas de conversa.

    Ainda com relação a estilo, pode ser que algum convidado queira ser gentil, levando CDs com estilo musical que não condizem com o gosto dos convidados. O melhor é agradecer e dizer que o mesmo será ouvido e devolvido depois.

    Prepare cedo e pergunte sempre

    Para não correr o risco de ter problemas com a comida que será servida, como a receita dar errado ou o alimento estragar, a dica é começar a preparação bem antes da ceia. "Há coisas que só poderão ser preparadas momentos antes de ser servido. Mas o que puder ser adiantado, deve ser, a fim de não correr o risco de algo dar errado e os convidados chegarem sem que tudo esteja pronto."

    Outra dica de Maria Teresa diz respeito ao anfitrião procurar saber o que os convidados comem e o que não comem. "Perguntar não é problema. Problema é correr o risco de servir algo que as pessoas não gostam."

    Mimo

    É de bom tom que o convidado leve uma lembrança para os donos da casa. "Não precisa ser nada muito caro e pode ter ligação direta com o evento, como uma garrafa de vinho, uma caixa de chocolates ou um panetone."

    Os textos são revisados por Thaísa Hosken


    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.