[php]insere("tit_eduardosantos")[/php]      O que você está fazendo aí parado?

::: 11/05/2004



Responsabilidade social, esta é a palavra do momento para as empresas que buscam projeção e mercado - principalmente externos. Clientes cada vez mais informados, conscientes e, conseqüentemente, exigentes têm imposto às empresas adotarem programas e compromissos que há poucos anos atrás nem eram cogitados. São inúmeros "selos" que abrem portas para produtos e serviços em um mundo cada vez mais competitivo. Selo de qualidade, selo verde (meio ambiente), selo de amigos das crianças e, mais recentemente - ainda não é um selo - a participação na comunidade e o compromisso de contribuir para um mundo melhor. E é aqui que entra você, estudante ou profissional.

Venho, há muito tempo, difundindo a idéia de que experiência também se adquire na escola ou durante o período de formação (ver a matéria "Mas você tem experiência?"). E se faltava um empurrãozinho para você começar a procurar por em prática o que você aprendeu ou está aprendendo, aí está ele. Se o mercado valoriza as empresas com compromisso social, nada mais lógico do que trabalhos sociais e voluntários também valorizarem os profissionais. Este é um item que tem sido buscado cada vez mais em currículos. Principalmente para cargos de supervisão para cima. Esta é uma realidade muito forte nos grandes centros e que vem ganhando cada vez mais espaço em nossa região.

Atividades voluntárias e/ou trabalhos sociais, é um item que tem que ser acrescentado ao currículo. Ainda mais para aqueles que buscam um lugar junto a grandes empresas e multinacionais. Mas, se este não for o seu foco, saiba que a cada dia mais empresas de médio e pequeno porte aderem a estes programas e descobrem seus benefícios. Isto mesmo: benefícios. Embora, muitas empresas tenham "entrado na onda" por conta de ganhar ou perder mercados, elas descobriram muitos outros ganhos. Além de projetar sua imagem com um marketing cada vez mais eficiente - o marketing social - sentiram que ajudar e doar é muito bom. Por isto, procuram profissionais com esta visão.

Ganha também a sociedade, e nisto não preciso me aprofundar, os reflexos estão por toda à parte. Mas, o que é mais importante: você também ganha e muito com tudo isto. Primeiro experiência. É a oportunidade de exercitar o que você já sabe, aprender coisas novas e, também, descobrir que sabia algo que ainda não tinha dado conta. E o melhor momento para isto é durante o período de formação. Aliar a teoria à prática, ainda mais com o auxílio de um supervisor. Em segundo lugar, e não menos importante, faz bem para o coração. Ajudar aos outros nos traz um sentimento de alegria e de utilidade que nada pode nos tirar. Ou seja, é unir o útil ao agradável. Um terceiro ponto é que você estando em atividade, mesmo que voluntária e não remunerada, estará em evidência. Você se projeta, aumenta o seu networking (ver "Networking, uma poderosa ferramenta"), o que lhe possibilitará maiores chances de conseguir um lugar ao sol.

Pense bem, não tranque seu talento em casa ou o desperdice apenas nas baladas, você pode ser útil e sair ganhando muito com isto. Lembre-se: esta é a onda do momento, e você vai deixá-la passar?

Não espere. Faça acontecer!


Eduardo Santos é psicólogo e consultor
formado pelo Centro de Ensino Superior
de Juiz de Fora e Pós-Graduado em Consultoria em RH.
Saiba mais clicando aqui.

Clique aqui e envie sua pergunta
para o consultor Eduardo Santos.



Conteúdo Recomendado