Duque, o cachorrinho que ninguém queria

30/09/04

Num dia quente e muito ensolarado, nasceu Duque, um lindo cãozinho. Ele era um filhotinho com pelos brancos e manchas marrons.

Desde que nasceu Duque era inquieto, levado, enfim nosso filhotinho não tinha sossego. Não deixava sua mãe dormir, comer e se ela se afastava um pouquinho ele começava a aprontar, rasgava as cobertas, comia a casinha, roía sapatos. Era um horror! Todos da casa ficavam indignados com o comportamento do filhotinho. A família não costumava deixá-lo sozinho porque Duque era sinônimo de confusão e bagunça, uivava alto tão alto que os vizinhos começaram a notar a sua indesejável presença.

Como já era de se esperar essa vizinhança começou a reclamar do cãozinho e de tanta amolação seus donos resolveram doá-lo.

E assim foi feito. Colocaram um anúncio no jornal e em uma semana o LINDO filhotinho foi adotado por um casal recém-casado.

Foto:http://www.bassetlovers.com/fred1.jpg A nova casa de Duque era muito gostosa, tudo novo,cheiroso, brilhando. Com a sua mudança também chegou a sua mobilinha. Uma caminha azul de bolinhas vermelhas, um cobertor lindo, peludo, cheiroso, que fora comprado especialmente para ele.

Tudo parecia perfeito, mas Duque não estava acostumado com os novos donos e sentia muitas saudades da sua antiga casa e principalmente de sua mamãe. E ainda sentia uma solidão horrível, pois o casal saia bem cedinho e só voltava a noite, algo que ele detestava. Com isso, para ocupar o seu dia monótono, Duque começou a destruir tudo que encontrava pela frente, como: sapatos, roupas, tapetes, e ele não só roía tudo, mas também babava em tudo e em todos os lugares da área de serviço.

Logo, logo o apartamento do casal ficou uma desordem absoluta, e depois de dois dias Duque já estava sendo doado outra vez. Quando completou seis meses de idade ele foi adotado novamente.

Outra casa, outros donos, outros hábitos. Tudo de novo. Tudo de novo mesmo, pois Duque também ficava sozinho no período da tarde já que as crianças da casa iam todas para a aula. E para não ser diferente o casal também trabalhava fora.

Foto:http://www.basset-hound-breeders.com/db_bassethound_alward1.jpg Nosso amiguinho Duque para não perder o hábito, destruiu tudo, só que desta vez na garagem. Roeu o para choque do carro, arranhou a porta, fez um xixizão nos pneus, e ainda furou todos os vidros de produtos para carro, que estavam guardados em uma grande caixa no canto da garagem.

Depois de mais esta confusão ele foi embora de novo, porém desta vez não foi para outro lar. Duque foi mandado para uma clínica veterinária, pois com sua artes, ele acidentalmente ingeriu alguns goles dos produtos de limpeza da caixa da garagem. Seu dono contou todas as suas travessuras e o veterinário tentou inutilmente explicar aos seus donos que aquilo que o cãozinho fazia era passageiro e que não havia motivo nenhum para que eles se desfizessem dele.

Entretanto, foi inútil. A família deixou Duque na clínica esperando novamente pela adoção. E depois de uma semana de espera, apareceu uma senhora de cabelos branquinhos, alta, muito elegante, com um olhar tristonho, procurando um cãozinho para lhe fazer companhia, já que ela quase não saia mais de casa e se sentia muito só. A veterinária ficou muito feliz ao ouvir aquelas palavras e logo percebeu que Duque era um companheiro ideal para aquela vovó tristonha e solitária. O filhote foi doado novamente.

Foto:http://www.petportraitsbycarol.com/bassethounds/images/basset-06-sm.jpg Desta vez para sempre porque já se passaram três anos e Duque é um fiel companheiro da vovó Idalina que jamais vai a qualquer lugar sem levá-lo como companhia. Ele é um assíduo freqüentador de pracinhas, pet shops, parques, e ainda tem vários amigos no bairro em que ele mora. Todos o conhecem pelo seu comportamento animado.

Duque, o cãozinho de pelos brancos e bolinhas marrons se tornou o guardião sempre atento da vovó Idalina e melhora a cada dia que passa, porque esse comportamento levado, é típico de cães filhotes. A vovó concorda que valeu a pena esperar a rebeldia passar.

Ele é hoje um rapazinho comportado, educado, e sem sombra de dúvida muito amado e respeitado como todo cãozinho deve ser. E lembre-se, se um dia for adotar um animalzinho leve em conta que como toda crianca ele pode fazer travessuras e que isso não deve ser uma razão para você abandoná-lo. Tenha paciência, pois ele se tornará o seu melhor amigo.

* Sociedade Juizforense de Proteção aos Animais

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.