Animais sentem ciúmes e saudades

da Redação

Animais sentem ciúmes e saudades Especialista em comportamento dos bichos dá dicas para evitar que os sentimentos causem problemas dentro de casa

Clecius Campos
Repórter
4/4/2009

Se os animais percebem que estão sendo trocados por outro cachorro, por algum estranho ou até por um membro da casa, rosnam, choram ou ficam isolados. O comportamento não é fora do comum e tem nome: ciúmes. Animais de estimação são ciumentos e expressam suas emoções.

De acordo com o zootecnista, especializado em comportamento animal, Alexandre Rossi, o cão expressa ciúme com intuito de defender o que considera importante para ele. "É um comportamento instintivo que, de certa forma, está presente tanto em cachorros quanto em humanos." O território, os objetos e o próprio dono são as preocupações dos cachorros.

 

Segundo Rossi, diante de uma situação que desperte ciúme, o cão pode reagir de duas formas diferentes. "Ele pode se afastar e perder o interesse pela situação ou tentar intervir, latindo, mostrando agressividade ou de algum outro jeito."

foto de Leila com o cachorro no colo A técnica em contabilidade, Leila de Jesus (foto ao lado), conhece bem os artifícios dos cães. Dona de Charlie, um pinscher de 3 anos, não pode abraçar a filha na frente do animal. "Ele tenta nos separar e quando não consegue começa a chorar." Segundo Leila, o cão ainda tem ciúme de crianças e não gosta da presença de homens. "Ele se sente inseguro. Quer ser o único macho da casa", brinca.

Conforme Rossi, para evitar que o cão tenha esse tipo de comportamento, o ideal é relacionar a visita de uma pessoa a algo bom para ele. "Quando alguém fora do convívio chegar, dê mais carinho ao animal ou ofereça um petisco. Ele vai associar a presença daquela pessoa à satisfação, evitando o ciúme."

Rossi afirma que o nível de ciúme pode estar relacionado à raça do animal. "Um rottweiler tem instinto de proteção do território muito aguçado. É bem agressivo quando está com ciúme da casa." A criação também pode gerar esse comportamento. "Um cachorro acostumado com atenção exclusiva vai estranhar quando tiver que dividi-la."

Saudade

De acordo com Rossi, os animais podem sentir falta de uma pessoa da casa, mesmo rodeados de outras. "Se for alguém com quem o cão teve muito convívio, é comum ele perder o interesse por brincadeiras ou parar de comer." O ideal é preparar o bichinho para que ele não sofra. "Ao sair, deixe que o animal tenha acesso aos locais com cheiro das pessoas da casa. E não permita que o cão seja um grude, uma sombra, seguindo o dono o tempo todo."

foto de Leila com o cachorro no colo É mais ou menos por esse motivo que Lilica (foto ao lado) está inconsolável. Desde que os donos se mudaram para os Estados Unidos, no início do ano, a lhasa apso apresenta um comportamento diferente. "Morávamos todos juntos e ela estava acostumada com o movimento. Nos 15 primeiros dias sem os donos, ela passou a defecar e urinar dentro de casa. Parou de brincar e ficou sem comer. Ficamos preocupados", conta a dona de casa, Ivone Silveira Coelho.

Para amenizar o sentimento, Ivone deixa que Lilica ouça a voz de seus donos, enquanto conversa com eles pela internet. "Ela reconhece a voz deles e os procura pela casa."

Os textos são revisados por Madalena Fernandes

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.