Animais requerem cuidados em época de Copa do Mundo Evitar exposição ao barulho, não pintar os pelos nas cores do Brasil e evitar laços e roupas apertadas estão entre as dicas

Aline Furtado
Repórter
15/6/2010

Em época de Copa do Mundo, as atenções de boa parte da população estão voltadas para os jogos de futebol. E quando o assunto é torcida e comemoração, muitos pensam que vale tudo. Barulho, cores do Brasil e por aí vai...

Mas quando o assunto são os animais de estimação, como cuidar para que os bichinhos não passem por situações de estresse e outros problemas de saúde, que podem ser ocasionados por foguetes, cornetas, vento, roupas e laços apertados?

De acordo com a veterinária Lívia Gonçalves, os cães são capazes de ouvir setenta vezes mais que os humanos. "Justamente por isso, é recomendável que os animais sejam deixados em ambientes distantes do barulho ocasionado por foguetes e cornetas." Ela lembra que a dica vale para cães e pássaros, visto que gatos costumam ser mais independentes, procurando, por conta própria, um local mais tranquilo.

Entre os problemas de saúde que podem ser desencadeados em animais devido ao excesso de barulho estão estresse, alterações de comportamento, convulsões, confusões mentais, entre outros. "Há casos em que o estresse acarreta automutilações, como morder língua, patas e rabo, por exemplo. Outros só se resolvem com o início de tratamento à base de remédios." Outra dica para evitar a exposição de cães e gatos ao barulho é colocar uma bolinha de algodão no ouvido do animal. "Mas o algodão deve ser colocado de forma bastante superficial", alerta.

Quando o animal demonstra medo devido ao excesso de barulho e à confusão, é indicado que o dono o leve para um ambiente escuro, onde haja uma superfície macia, e tente acalmá-lo, falando em voz baixa. "O local não deve servir como estímulo audiovisual ao animal. Só assim conseguimos evitar desmaios e convulsões."

Para as pessoas que têm o costume de pintar os pelos dos bichinhos, Lívia alerta. "É extremamente contraindicado, mesmo que as tintas sejam adquiridas em petshops." Segundo ela, os produtos usados para tingir os pelos podem causar alergia, além de dermatites, sejam elas superficiais ou profundas."

A veterinária lembra que em dias de jogos do Brasil é comum as famílias saírem de carro para passear e costumam levar os cães. "Nada de deixar os cachorros expostos ao vento porque o risco de otite é enorme." Estes passeios representam risco, mesmo se as janelas dos carros estiverem abertas, podendo causar sérios acidentes.

Laços e roupas

Os laços só não são indicados para filhotes, devido ao risco de cair e o animal engolir, podendo até engasgar. Contudo, no caso de animais maiores, o dono deve estar atento porque o laço não deve ficar apertado para que não haja risco de falha de pelos e de vermelhidão.

Com relação às roupas, a veterinária explica que são indicados tecidos leves, como o algodão, a fim de evitar reações alérgicas. "As pessoas não devem vestir os animais após o banho. A roupa dificulta a secagem do pelo, o que pode evoluir para uma dermatite úmida."

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.