Pais dizem que JF possui poucas opções de lazer Em época de férias ou datas festivas, há opções em todos os lugares, mas fora isso, a cidade não é nenhum pouco atrativa para os pequenos, segundo os pais


Marinella Souza
*Colaboração
13/10/2008

É sempre a mesma coisa, as crianças estudam, cumprem mil e uma obrigações durante toda a semana e chega no sábado não tem muito o que fazer em Juiz de Fora. Essa é a reclamação de muitos pais que não sabem mais o que fazer para divertirem seus filhos.

Em época de férias ou no Dia das Crianças chovem opções em todos os lugares, mas fora isso, a cidade não é nenhum pouco atrativa para os pequenos. Para a analista de sistemas, Karla Pacheco Dias as alternativas na cidade são muito restritas.

Ela e o marido confessam que não sabem muito o que fazer para distrair o pequeno Arthur nos fins de semana. "Ultimamente, nossa única opção para o fim de semana é levá-lo ao clube que fica perto da nossa casa. Fora isso, não tem muito o que fazer", reclama.

Mais otimista, o professor Alexandre Rodrigues Magalhães encara a cidade com outros olhos. Para ele, as opções são ótimas, mas não são para todas as idades. "Eu acredito que a cidade ofereça boas opções para as crianças maiores de dois anos, antes disso, são muito limitadas", diz.

Boneca Trapilha
 brinca com as crianças no Parque Halfeld no dia das crianças Para proporcionar momentos mais agradáveis ao seu filho Kauã, Magalhães procura lugares mais amplos com mais brinquedos e costuma freqüentar espaços como o Parque Halfeld e o Parque da Lajinha que, além dos brinquedos, têm uma boa área verde.

O portal ACESSA.com selecionou alguns lugares que merecem ser visitados pelas crianças em todas as épocas do ano. Seja pela cultura ou simplesmente pelo espaço físico privilegiado. São opções que prometem divertir toda a família.

  • Parque Halfeld: um dos mais antigos símblos de Juiz de Fora, o lugar está um pouco esquecido, mas ainda impressiona por sua beleza. O Parque conta com área verde e brinquedos para as crianças. Foi tomabado em dezembro de 1989.
  • Parque da Lajinha: contato direto com a natureza e com o que resta da Mata Atlântica são os principais atrativos desse parque que conta com duas cachoeiras, pássaros e muitas flores. São 880 mil metros quadrados que se dividem em áreas de mata nativa, trilhas, lago e jardins.
  • Museu Mariano Procópio: com o segundo maior acervo no eixo Petrópolis - Belo Horizonte, Museu Mariano Procópio conta ainda com grande área verde e projetos culturais. O parque é considerado o ponto alto do Museu. Com um belo visual, o local oferece parque e pedalinhos para a diversão da criançada.
  • Museu de História Natural: através de fósseis originais, minerais, rochas e animais empalhados, museu vai da pré-história aos tempos atuais. A demonstração começa há cerca de três bilhões de anos, na pré-história, e segue até os dias atuais, onde o homem é a presença mais jovem.

Apesar dessas alternativas e de outros pontos turísticos da cidade, Karla reclama da falta de investimento no lazer. "Devia ter mais ações sociais, investir nas áreas públicas constantemente, não só nas datas especiais como o Dia das Crianças", ressalta.

*Marinella Souza é estudante de Comunicação Social na UFJF


Dê sua opinião sobre esta matéria.
Envie um e-mail para redacao@acessa.com

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.

Arquivo

Ver mais...