Eduarda Tavares Conheça os mil e um talentos da bailarina, modelo, percussionista e cantora Duda Tavares

Esperta, divertida e dinâmica! Em poucos minutos de conversa com Eduarda Tavares é possível se surpreender com a criatividade de suas idéias e o talento para executar as mais diversas artes, que vão desde ballet clássico a apresentações em rodas de samba, tocando chocalho ou percussão.

Delicada, com um sorriso meigo e uma voz ainda infantil, a menina de 11 anos se revela uma potência artística, cheia de determinação e coragem para seguir seus objetivos. Desde os quatro anos, Eduarda estuda ballet e, em 2006, conseguiu seu primeiro certificado da The Royal Ballet, uma das escolas inglesas mais conceituadas no universo da dança em todo o mundo.

Para passar no exame, Duda contou com o incentivo dos pais, Alana e Basileu, além da cooperação e assessoria constante do irmão, Rodrigo. De sapatilhas nos pés, a jovem já interpretou clássicos, como "Alice no País da Maravilhas", "O Quebra Nozes" e "A Arca de Noé".

Além da paixão pela dança, a garota tem um interesse especial pela música. Influenciada pela família, admiradora de samba, Eduarda toca alguns instrumentos não muito convencionais para uma menina: chocalho e percussão. "Quero aprender a tocar pandeiro e bumbo, mas eles são muito pesados para mim", diz. Enquanto a idade ainda é um "obstáculo", Duda ensaia em casa com o irmão e participa do Coral Angeli Coeli, para moldar sua voz.

Foto da artista Eduarda Foto da artista Eduarda Foto da artista Eduarda

Tanta determinação, rendeu a garota convites para participações especiais em rodas de samba, ao lado de feras da música em Juiz de Fora. Joãozinho da Percussão é que o diga! O músico já tocou ao lado de Eduarda, que foi a revelação de um show no ano passado. "Agora, sempre que vou assistir ao Joãozinho, ele me chama pra tocar", revela.

Mesmo com a agenda recheada de atividades, Eduarda ainda arruma um tempinho para desfilar em eventos na cidade. "Já fiz Fashion Days e desfilei em lançamentos de coleção das lojas infantis mais conhecidas daqui". Ufa! Se há um restinho de fôlego, ela o reserva para um bom desempenho na escola, principalmente, em matemática, ciências, educação física e xadrez, suas matérias prediletas. "Se pudesse, faria ballet aquático, conjugando duas coisas que gosto. Daí ia sobrar mais tempo para outras coisas", conta a "menina elétrica".

Confira a entrevista:

ACESSA.com - Quando foi que você se interessou pelo ballet?

Eduarda - Aos quatro anos, pedi a minha mãe para me colocar no ballet clássico. Achava muito bonito e queria aprender, mas foi só com uns cinco que comecei a ficar mais profissional.

ACESSA.com - E quais foram as apresentações mais importantes?

Eduarda - Já fiz "Alice no País da Maravilhas", "O Quebra Nozes", "A Arca de Noé", "Fundo do Mar", "Dez anos de Vivian", entre outros. Em uma dessas, quebrei o pé e fiquei duas semanas sem ensaiar a coreografia, só assistia aos ensaios e, no dia, consegui apresentar normalmente.

ACESSA.com - Você não sente medo na hora de subir no palco?

Eduarda - Dá um frio na barriga e fico ansiosa. Mas na hora, é muito bom.

ACESSA.com - Como foi treinar para o exame da Royal?

Eduarda - Foi muito bom. Todos os dias eu tinha que ir ao estúdio ensaiar, mas valeu muito a pena. Aprendi o "mesmo exercício" várias vezes, a trabalhar em equipe e a dançar ao som do piano. Tinha dia que eu reclamava o dia todo, mas chegava na hora do ensaio eu queria ir pra lá.

Foto da artista Eduarda Foto da artista Eduarda Foto da artista Eduarda

ACESSA.com - E quando recebeu o resultado de que tinha passado?

Eduarda - Foi maravilhoso. Vi que valeu muito o meu esforço. Só pra você ter idéia, a prova foi no Dia das Crianças e, além disso, somos examinadas por uma professora da Inglaterra. Na hora do exame, não podemos conversar nem um pouquinho e, ainda, a nossa professora não pode entrar na sala. É difícil ficar quieta e se concentrar no piano, já que treinamos com músicas no CD. Só fiquei triste porque faltou um ponto para passar com mérito.

ACESSA.com - Como acontece a graduação no ballet?

Eduarda - É de acordo com o seu grau de conhecimento. As turmas vinculadas à escola do Royal Ballet têm as turmas baby class, premiere, 1º grau, 2º e 3º. Acima de 13 anos, você já é indicado a passar para a sapatilha de ponta. Antes disso, o seu corpo ainda não tem preparo físico.

ACESSA.com - Você tem vontade de se tornar uma bailarina profissional?

Eduarda - Ainda não sei. Quero continuar fazendo ballet e ver o que dá.

ACESSA.com - Como teve o primeiro contato com a música?

Eduarda - Toda a minha família adora samba. Daí, comecei a aprender chocalho, percussão e agora quero fazer aulas com esses instrumentos. Depois, quero aprender pandeiro.

ACESSA.com - E os desfiles? Quando começaram?

Eduarda - Pedi aos meus pais para me colocarem na aula de noções de passarela. Daí, fui convidada para desfiles de lançamentos de coleções infantis e também para o Fashion Days.

Foto da artista Eduarda Foto da artista Eduarda Foto da artista Eduarda

ACESSA.com - Você também participa de um coral, não é?

Eduarda - É sim. Ensaio no Coral Angeli Coeli. Já me apresentei em cantatas de Natal, Festival Internacional, entre outros eventos.

ACESSA.com - Você não acha muita coisa para uma menina?

Eduarda - Não!!! Se pudesse, faria ballet aquático, para juntar duas coisas e sobrar mais tempo para outras.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.