• Assinantes
  • Autenticação
  • Tecnologia
    Ouvindo rádio via Internet
    Saem as ondas eletromagnéticas, entra o sistema binário

    Luciana Mendonça
    22/06/2001

    Imagine que você está dirigindo seu carro e resolve ouvir uma estação de rádio. Nada mais comum, se não fosse um novo detalhe: seu aparelho está conectado à Internet, via ondas de radiofreqüência, e você pode escolher um canal de sua preferência, teclando, ou até por comandos de voz.

    Essa situação pode, em breve, ser real. É o que afirma o radialista, âncora da CBN, Heródoto Barbeiro, em entrevista por telefone, de São Paulo, ao JFService: "O rádio vai se propagar, basicamente, pela Internet. Não vamos nem passar pelo rádio digital (via satélite), como as TVs estão passando. O veículo vai deixar de ser transmitido por ondas eletromagnéticas e vai direto para o sistema binário".

    Heródoto, que é um dos criadores do projeto da rádio CBN, hoje referência nacional pela proposta de transmitir programação jornalística, 24 horas por dia, acha que a resistência dos donos das emissoras de rádio em relação ao novo panorama tecnológico não vai durar muito. "Os empresários fizeram investimentos em transmissores tradicionais e não querem perder isso. Mas as rádios que insistem no formato tradicional vão acordar quando virem as pessoas ouvindo rádio via Internet no carro, no celular, em toda parte. Porque essa é a direção para onde a coisa aponta". Ele completa: "As pessoas acham que a Internet é concorrente do rádio, mas ela não é. Radio é comunicação auditiva à longa distância. Na verdade, a Internet é uma nova via pela qual o rádio se propaga".

    Já a diretora da rádio Solar de Juiz de Fora, Elizabete Carvalho Gouveia, acredita que o rádio irá passar, primeiramente, para o formato digital. “Isso vai representar o fim do chiado, da transmissão que não pega porque esbarra em um morro, por exemplo. O rádio digital vai tornar possível ouvir uma rádio do Canadá sem interferências,” exemplifica.

    Favorável às novas possibilidades, Elizabete afirma que o rádio é um veículo de comunicação que compartilha bem os espaços com a Internet, por sua versatilidade. “O usuário continua navegando em áreas de textos e imagens e ouvindo sua estação preferida".

    Também o professor de radialismo e coordenador do curso de Comunicação Social da UFJF, Kléber Ramos, vislumbra uma realidade multimídia, mas argumenta que as características primordiais do rádio - tais como simplicidade, baixo custo, mobilidade e imediatismo - ainda não podem estar na transmissão de rádio via Internet. “Um rádio de pilha pode ser comprado a R$10 em qualquer camelô. Já o computador continua bem caro". Heródoto Barbeiro acredita que tal problema não vai demorar muito a ser resolvido. "Há pouco tempo, ninguém imaginava que todas as casas teriam telefone".

    A Internet é, entretanto, uma possibilidade distante para muitos brasileiros. O último relatório do Ibope eRatings.com registrou, para o Brasil, no mês de maio, 11,1 milhões de internautas, um crescimento de 6,78% sobre os 10,4 milhões relativos ao mês de abril. Para um país de quase 170 milhões de habitantes (segundo o Censo Demográfico 2000), os números são reveladores.

    Tradicionalistas insistem: "Nada como o bom e velho radinho de pilha..."

    Enquanto essas novas tecnologias não se popularizam, o sucesso do rádio tradicional continua, via ondas moduladas (AM e FM). O vendedor Sandro Dutra Vieira, 31 anos, é um ouvinte diário de rádio. “Ouço a Jovem Pan e a Globo FM”, afirma. Assim como ele, o estudante João Paulo de Almeida, de 16 anos, nunca ouviu falar da possibilidade de se escutar rádio via Internet. “Navego na Rede, sei de sites em que se pode pegar músicas, mas não conheço rádio normal na Rede”. Esta é também a afirmação da estudante Judy Moura, de 13 anos: “Acesso a Internet, mas ouço rádio comum; acho mais simples”. Outro ouvinte diário de rádio, o estudante Fabiano Costa, de 16 anos, já navegou pelo site de uma estação, mas nunca ouviu os programas.

    Até mesmo as emissoras ainda estão começando a desenvolver seus sites com programação de rádio ao vivo. Apesar disso, algumas estações nacionais estão tendo resultados positivos em suas estatísticas de "ouvintes online". É o caso da CBN. De acordo com o operador comercial da rádio, Rodrigo Wangler Denys, são registrados, por mês, uma média de 40 mil acessos.





    Os "ouvintes" Sandro Dutra,
    João Paulo, Judy Moura e Fabiano Costa
    A CBN está no portal Radioclick, do Sistema Globo de Rádio, onde é possível ouvir a Globo AM e FM, dentre outras. Também estão online rádios nacionais como a Jovem Pan, a Bandeirantes, e a Eldorado. Mas, em Juiz de Fora, a maioria das rádios ainda não tem site na Rede. A rádio Alvorada FM local já experimentou a tecnologia por alguns meses em seu site, mas atualmente não transmite sua programação.

    Rádios comunitárias têm alcance virtual no mundo todo

    A possibilidade de fazer rádio "online" pode ser a solução para os envolvidos com as rádios comunitárias (hoje, muitas delas, consideradas "piratas"). Afinal, via Rede, uma rádio do Japão ou do Bairro São Benedito, em Juiz de Fora, terão o mesmo alcance, ou seja, a Internet pode equalizar a cobertura das emissoras de qualquer parte do mudo.

    Contudo, a limitação continua. Não mais por uma concessão política, e sim pela falta de acesso à tecnologia. Por isso o professor de radialismo da UFJF, Kleber Ramos, afirma que os transmissores e antenas atuais continuarão, mesmo com a nova possibilidade.

    Como ouvir rádio pela Internet

    Para ouvir uma estação de rádio na Rede, é preciso instalar programas como o Real Player (o mais popular dos softwares), que ocupa 7Mb de memória do micro. O computador deve ser, no mínimo, um Pentium 120MHz (ou equivalente), ter modem de 28.8kbps, placa de som de 16 bits, 32MB de memória e, claro, caixas de som.

    O engenheiro eletricista e programador de Internet Sérgio Guimarães de Faria explica que é perfeitamente possível ouvir rádio via Internet com uma conexão de modem. Mas o ideal é que se tenha acesso em alta velocidade (a banda larga), que é a tendência mundial.

    Como transmitir rádio via Internet

    Existem duas alternativas para transmitir a programação de uma emissora de rádio via Internet, como explica o engenheiro Sérgio Faria: a placa de som de um computador pode estar diretamente ligada à mesa de operação de som da rádio ou pode estar ligada a um rádio comum, sintonizado na estação desejada. O computador deverá, é claro, estar conectado à Internet. O processo é simples: o sinal de rádio é decodificado em sinal binário.

    Curiosidade histórica

    O primeiro programa radiofônico foi transmitido no Natal de 1906, por Reginald Fessenden, de uma estação em Massachussets. A bordo de navios, as pessoas puderam ouvir o cientista tocando violino e lendo uma passagem da Bíblia.

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.