Quer sair bem na foto?

Entrevista

Juliana Martins trabalha com revelação digital em Juiz de Fora e recebeu a equipe do Portal JF Service/ACESSA.com, para tirar todas as dúvidas sobre esta nova tecnologia. Confira!

JF Service - É complicado conseguir um lugar em Juiz de Fora que faça a revelação digital?
Juliana - Sim. Nem todas as empresas do ramo fotográfico oferecem os serviços digitais.

JF Service - E qual é na sua opinião o maior benefício da fotografia digital?
Juliana - O maior benefício da fotografia digital como um todo é a facilidade de manuseio que você tem. É a agilidade de você pegar, ver se a foto ficou boa ou não. Se não ficou bom você apaga, se ficou você guarda no micro ou revela. Quanto à manipulação você poder mexer, mandar por e-mail. Pode brincar com a fotografia de forma rápida, coisa que usando 35 mm fica mais complicado, pois você vai fotografar, vai revelar, vai ver do que gosta, vai scanear e depois trabalhar nela. A fotografia digital também é muito usada para profissionais como dentistas e cirurgiões plásticos que podem fazer um antes e depois dentro do próprio consultório sem trazer constrangimento para o paciente.

JF Service - A câmera digital corta este caminho?
Juliana - Sim. Com a câmera digital você consegue isto de maneira muito mais rápida. Além disso, com a revelação digital você já consegue ter uma qualidade tão boa quanto a da fotografia convencional. Vai depender só da sua câmera, para termos uma qualidade boa o investimento é superior a R$ 1 mil.

Os laboratórios digitais já te dão uma fotografia no papel fotográfico mesmo, já não é mais a impressão da jato de tinta. O mesmo papel fotográfico utilizado no laboratório óptico é utilizado no laboratório digital, então a durabilidade da foto é a mesma de uma fotografia convencional. Já a impressão jato de tinta, pode ficar linda no momento que é feita, mas passa um tempo e ela vai ter uma alteração de cor, desbotar. Além disso, para uma boa foto da impressora jato de tinta você precisa estar com uma impressora boa, utilizar apenas cartucho original, um bom papel fotográfico. Aí o custo vai lá pra cima.

JF Service - Então tirar a foto digital e fazer uma boa impressão em casa não fica tão barato?
Foto:Aluísio Juliana - Fizemos um cálculo em março deste ano e uma foto 10x15 em uma impressora Epson, com papel original ficava em R$4,15. No laboratório digital conseguimos uma 10x15 a R$1,90. A economia de você utilizar uma impressora em casa não existe, porque o custo é bem maior, lembrando que depende também da qualidade da impressora.

JF Service - Mas o preço da revelação digital ainda é bem maior do que o da revelação tradicional?
Juliana - Ainda há uma diferença. A revelação digital custa R$1,90 enquanto a tradicional sai a R$0,65. Só que por exemplo você pega um filme de 36 fotos e revela. De quantas fotos você gosta? Não de todas, mas você paga a revelação de uma filme de 36. Na digital você vai mandar revelar somente as que você gosta!

JF Service - Como as pessoas trazem as imagens para o laboratório?
Juliana - A pessoa traz o disquete, Cd ou Zip até a loja com as imagens. Nas câmeras que tem cartão de memória é preciso descarregá-las em casa e passar a imagem para Cd ou disquete para depois trazer para a revelação.

JF Service - É possível fazer muitos trabalhos nas fotografias digitais. Aqui na sua loja, o que as pessoas procuram mais?
Juliana - Hoje o principal serviço procurado é a revelação digital e a reproducão de fotos (cópia de foto sem negativo). As lembrancinhas de aniversário e fotocamisas vem logo em seguida. Há uma menor demanda em serviços como restauração, montagem, coloração, retoques em geral.

JF Service - Bem, como na revelação tradicional , vocês já pegam a foto batida. Tem aí também a responsabilidade do autor da fotografia. A fotografia digital ainda é uma novidade. As pessoas já estão aprendendo a fazer boas fotografias?
Juliana - Este é realmente um problema. Às vezes as fotos já não chegam tão boas e não têm muito como a gente mexer. A fotografia digital depende muito da qualidade e resolução da câmera. Mas já melhorou bastante. De janeiro para cá aumentou em muito o serviço. Quando começamos a fazer a revelação digital, este tipo de serviço era para um público restrito. Eram pessoas de alto poder aquisitivo ou empresas que tinham uma câmera e faziam algumas fotos. Hoje você já tem um cliente de classe média, que ao invés de comprar uma câmera convencional adquire um equipamento digital. Que pega emprestado com um primo ou amigo que já tem. É um cliente mais comum.

JF Service - Até o preço da revelação já sofreu esta alteração não é?
Juliana - A revelação digital já reduziu muito. No ano passado custava R$3,50 por foto.

JF Service - Quando o cliente chega aqui com o disquete ou cd qual é o processo para a revelação?
Juliana - Preparamos o arquivo no Photoshop em um formato que o laboratório digital aceite. E mandamos para o laboratório que revela a foto! A foto é tratada em uma mini estação digital (laboratório) para receber as imagens que depois vão para a impressão.

JF Service - Neste tipo de revelação, ao contrário do que acontece na revelação tradicional é possível fazer a revelação em preto e branco de filmes coloridos? É possível fazer a revelação digital direto do filme da máquina?
Juliana - Neste tipo de revelação não é preciso comprar o filme preto e branco para fazer revelação. O que significa uma economia já que além do filme preto e branco ser mais caro, a revelação do filme preto e branco também possui um custo superior. Também é possível utilizar a revelação digital para o filme. As alternativas de entrada em um laboratório digital são: tiras de filme; filme APS; filme normal; Zip; Cartão; DVD e tudo o que for imagem digital.

JF Service - Mesmo quem não tem câmera digital pode trazer o filme para fazer a revelação digital.
Juliana - Sim. Nos scaneamos e fazemos a montagem, trabalhando a foto fazendo a restauração, montagem e colorindo. Qualquer imagem que você tenha e queira dar uma saída no fotográfico nós podemos trabalhar. Dá para fazer impressão em blusa, através de uma foto de papel ou de um arquivo digital. Fazemos camisas brancas e pretas.

JF Service - Qual a dica para os fotógrafos "domésticos" tirarem boas fotografias?
Juliana - Utilizando equipamentos digitais ou convencionais é necessário o cuidado com iluminação, o enquadramento, o uso ou não do flash. E é sempre bom conhecer o equipamento que está sendo utilizado para poder utilizar de todos os recursos disponíveis. Quanto a fotografia digital é muito importante a resolução fotográfica da câmera. A partir de 2.0 megapixels tem-se uma boa qualidade impressa (até o tamanho 15x21). Com relação de câmeras convencionais temos que observar também a sensibilidade do filme. A resolução deve ser sempre alta (recomendado mínimo de 600x800). O que tiver de resolução você usa. Muita gente economiza para caber muita coisa no disquete ou cartão mas a qualidade não é boa. E na hora de dar saída em papel pode ser que tenha uma surpresa desagradável. A imagem digital é formada por um monte de pontinhos. Se você tirar com 100 pontinhos, você só vai ter 100 pontinhos. Pode até usar um software de manipulação, mais a qualidade impresa é a mesma da original, do momento da captura. Na empresa em que trabalho oferecemos aos clientes um Guia Excelência em Fotografia e um curso que oferecem importantes dicas para aperfeiçoar suas fotos.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.